Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Defesa russa: avião Il-20 foi derrubado por mísseis sírios S-200

De acordo com o ministério russo, o sistema de defesa aérea sírio tentava atacar um avião de Israel. No entanto, a tripulação israelense fez uma manobra especial para se proteger, e o míssil acabou atingindo acidentalmente o avião russo Il-20.
Sputnik

O avião Il-20 desapareceu dos radares em 17 de setembro, por volta das 23h do horário de Moscou, (17h em Brasília) durante o retorno planejado à base aérea de Hmeymim, acima do território do mar Mediterrâneo, a 35 quilômetros da costa da Síria, informou o comunicado do Ministério da Defesa da Rússia. O represente oficial da Defesa russa, Igor Konashenkov sublinhou que os aviões israelenses "propositalmente criaram uma situação perigosa para navios e aviões nessa região".

Na opinião dele, para evitar o ataque sírio, a tripulação israelense acabou tornando o Ilyushin-20 alvo de ataque.

"Ao tentarem proteger-se com ajuda do avião russo, os pilotos israelenses o puseram debaixo de fogo do sistema de defesa antiaérea da Síria"…

EUA não têm navios que possam competir com cruzadores russos

Os Estados Unidos não conseguiram criar um navio de guerra que possa competir com os cruzadores nucleares do projeto Kirov, que têm capacidade de cumprir várias missões ao mesmo tempo e que estarão ao da Marinha russa ainda daqui a mais de uma década, escreve o The National Interest.


Sputnik

Os navios do projeto 1144 (Classe Kirov) são comparáveis em termos de seus gabaritos com os vasos dos tempos das Primeira e Segunda Guerras Mundiais. Os EUA e outros países se recusaram a produzir este tipo de navios devido ao seu algo custo e vulnerabilidade. No entanto, a União Soviética tomou a decisão de construir um cruzador pesado que combinasse as funções de vários navios simultaneamente, informa o The National Interest. 


Cruzador nuclear pesado russo Pyotr Veliky
Cruzador nuclear pesado russo Pyotr Veliky © Sputnik/ Vitaly Ankov

O resultado foi um navio que pode combater tanto navios de superfície como semi-submersíveis e submarinos. Ele pode ainda entrar em combate com porta-aviões e grupos de submarinos.

Os EUA, por seu lado, não possuem navios com estas capacidades, apenas os porta-aviões superam o tamanho dos Kirov. O surgimento dos cruzadores levaram os EUA a lançarem os navios de Classe Iowa. Mas as alterações destes navios foram bastante moderadas.

Depois da Guerra Fria e do colapso da URSS, um dos cruzadores da Classe 1144, Pyotr Veliky, continua ao serviço da Frota russa. O navio até participou de uma operação especial contra os piratas da Somália.


Cruzador nuclear pesado russo Admiral Nakhimov
Cruzador nuclear pesado russo Admiral Nakhimov © Sputnik/ Oleg Lastochkin

Em 2019, o Pyotr Veliky será reparado e modernizado e, em 2021, voltará a integrar a Marinha russa, que assim contará com dois cruzadores da Classe 1144. Atualmente estão sendo realizados trabalhos de modernização no navio Admiral Nakhimov, que terminarão em 2018. Os cruzadores modernizados receberão radares novos, equipamentos eletrônicos, bem como lançadores verticais de mísseis.

Os navios do projeto Kirov são plataformas impressionantes da frota russa. É muito provável que estes cruzadores sirvam a Rússia ainda mais de uma década, resume o autor.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas