Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O Brasil tem poder de fogo para proteger a riqueza da Amazônia Azul? (VÍDEO)

Devido à enorme riqueza natural, a porção de mar sob jurisdição brasileira é também conhecida como Amazônia Azul. A área é um dos mais importantes patrimônios naturais brasileiros e é uma preocupação para o setor de Defesa. Para comentar o assunto, a Sputnik Brasil ouviu Ricardo Cabral, pesquisador da Escola de Guerra Naval da Marinha do Brasil.
Sputnik

O pesquisador falou sobre a importância comercial e estratégica, o potencial energético, científico e as obrigações internacionais do Brasil com as áreas da Amazônia Azule seu entorno. Ele também descreveu o atual estado da esquadra da Marinha brasileira, que carece de investimentos e pleiteia junto ao novo governo federal uma fatia maior do orçamento público, limitado pela Emenda Constitucional nº 95.


Foi a própria Marinha brasileira que cunhou o termo "Amazônia Azul", em referência ao tamanho da biodiversidade e dos bens naturais encontradas em sua área. No entanto, a área marítima é ainda maior do que porção brasileira da flo…

McCain diz que exército dos EUA vive lamentável descompasso com a modernização

O Exército dos EUA está significativamente atrasado na modernização de seus equipamentos militares, ainda que precise de novas capacidades para responder às crescentes ameaças, acredita o senador norte-americano John McCain.


Sputnik

Ao participar de uma audiência do Comitê de Serviços Armados do Senado dos EUA para avaliar a nomeação do próximo secretário do Exército dos EUA, McCain destacou que o Exército do país foi “essencialmente organizado e equipado como o era nos anos 1980”. 


Senador John McCain

“Enquanto isso, o Exército está lamentavelmente atrasado com a modernização. O Exército precisa ser modernizado para as duras realidades da guerra do século 21” – declarou o senador.

Ele observou que as principais forças do Exército norte-americano, incluindo artilharia, tropas blindadas e engenheiros, foram reduzidas para níveis que estão a comprometer a sua "capacidade de promover campanhas militares de qualidade”.

Em novembro de 2015 o presidente dos EUA Barack Obama assinou o orçamento de defesa para 2016 aprovado pelo Congresso. O novo orçamento, de mais de 607 bilhões de dólares, manteve as principais características do orçamento anterior, que havia sido vetado por Obama. Em particular, o documento prorroga a proibição à prisão de suspeitos estrangeiros de terrorismo no presídio de Guantánamo, em Cuba.

Além disso, o orçamento prevê gastos com ajuda militar à Ucrânia no valor de 300 milhões de dólares, caso a mesma seja considerada necessária pela administração presidencial do país.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas