Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

China: 'Relatório do Pentágono distorce nossas intenções estratégicas'

A China rejeita firmemente as conclusões do relatório do Departamento de Defesa dos EUA sobre a situação militar e de segurança no país asiático, disse em comunicado o porta-voz do Ministério da Defesa chinês, Lu Kang.
Sputnik

"Em 17 de agosto, o Departamento de Defesa dos Estados Unidos divulgou o relatório sobre a situação militar e de segurança na China, interpretando mal as intenções estratégicas da China e apresentando a chamada ‘ameaça militar chinesa' […] Os militares chineses expressam sua firme oposição a esse respeito", diz a declaração.

"As alegações do relatório dos EUA são pura especulação", disse Kang, explicando que o programa de modernização do Exército chinês se destina a defender "os interesses da soberania, segurança e desenvolvimento do país" e para "providenciar a paz, estabilidade e prosperidade globais".

O porta-voz do ministério chinês também reiterou a posição firme de seu país em relação a Taiwan, que ele definiu como u…

Navios de guerra iranianos assustam marinheiros americanos

Cinco navios da Guarda Revolucionária do Irã navegaram perigosamente perto de um navio de guerra dos EUA no Estreito de Hormuz, informa a agência Fox News, citando o general Joseph Votel, que se encontrava a bordo do navio dos Estados Unidos no momento do incidente. 


Sputnik

"O New Orleans, navio estadunidense, navegava nas águas internacionais do estreito. O incidente causou preocupação porque aquela manobra perigosa poderia ter sido fatal para o meu navio, que transportava cerca de 700 marinheiros", disse Votel.


Um artilheiro a bordo do navio americano New Orleans no Estreito de Hormuz
Um artilheiro a bordo do navio norte-americano New Orleans © REUTERS/ Phil Stewart

Os cinco navios iranianos incluíam quatro barcos de patrulha pequenos e um navio maior de ataque rápido, chamado de Houdong. Pelo menos um dos barcos de patrulha estava equipado com uma metralhadora de calibre 50. Eles se aproximaram a uma distância de apenas algumas centenas de metros do navio americano.

Ao mesmo tempo, os militares dos EUA reconheceram que o incidente não pode ser considerado como grave, porque que tais encontros são muito comuns. De acordo com o general, só em 2015 aconteceram pelo menos 300 situações semelhantes envolvendo navios iranianos.



Postar um comentário

Postagens mais visitadas