Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

'Sangue e caos': príncipe saudita chama Trump de 'oportunista' por decisão sobre Jerusalém

O ex-chefe da inteligência saudita, o Príncipe Turki al-Faisal, criticou o reconhecimento do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de Jerusalém como a capital de Israel, em uma das mais acentuadas reações do reino aliado de Washington no Oriente Médio.
Sputnik

Em uma carta a Trump publicada em um jornal saudita nesta segunda-feira, o príncipe Turki, um ex-embaixador em Washington que agora não ocupa nenhum cargo do governo, mas continua influente, chamou a decisão de uma estratagema política doméstica que provocaria violência.


"O derramamento de sangue e o caos definitivamente seguirão sua tentativa oportunista de ganhar eleitoralmente", escreveu o príncipe Turki em uma carta publicada no jornal saudita al-Jazeera.

Trump inverteu décadas de política dos EUA e virou do consenso da crítica internacional na semana passada, reconhecendo Jerusalém como a capital de Israel. A maioria dos países diz que o status da cidade deve ser deixado para negociações entre Israel e os pales…

Por que a China construiu um novo submarino nuclear?

Fotos de uma nova modificação do submarino nuclear porta-mísseis chinês do projeto 094 foram recentemente divulgadas na Internet.


Sputnik

Os usuários chineses já o batizaram de 094A. O especialista militar russo Vasily Kashin comenta o objetivo para que a China poderia precisar de um novo submarino.


Projeto 094

É de notar que ele se distingue da modificação anterior por uma “corcunda” na área de localização dos silos de mísseis, assim como por algumas outras alterações no casco. Uma das primeiras conclusões tiradas por usuários chineses foi que o navio poderia estar equipado com os novos mísseis balísticos “Julang-3”, que têm um alcance maior do que o “Julang-2”, explica Vasily Kashin.

Os mísseis “Julang-2”, têm um alcance máximo de 8000 km. Isto significa que eles não são capazes de atingir o território dos EUA a partir do mar do Sul da China.

Uma opção para o reequipamento dos submarinos com os novos mísseis “Julang-3” é simplesmente cortar o compartimento para mísseis “Julang-2” e instalar um novo compartimento para colocar nele o “Julang-3”. Esta opção é tecnicamente possível, mas é ineficaz e cara. É mais provável que os navios do projeto 094 permaneçam no ativo e formem a base das forças de dissuasão regional na Ásia. Um único submarino 094 com mísseis “Julang-3” será um navio experimental de novos sistemas de armas e, no futuro, a Marinha chinesa estará ocupada com os submarinos do projeto 096, equipados com 24 mísseis “Julang-3”, resume Vasily Kashin.



Postar um comentário