Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

Acordo permite evacuar rebeldes e civis da cidade síria de Daraya

4 mil homens, mulheres e crianças serão levados a arredores de Damasco.
Acordo diz ainda que 700 rebeldes podem seguir com suas armas até Idleb.


France Presse

Milhares de rebeldes e de civis serão evacuados de Daraya, cidade próxima de Damasco e sitiada desde 2012, segundo um acordo alcançado nesta quinta-feira (25), anunciou a agência oficial síria, Sana.


Daraya, subúrbio de Damasco e palco de combates entre o Exército Árabe Sírio e terroristas
Daraya © Sputnik/ Mikhail Alaeddin

"Segundo o acordo, 700 homens com suas armas individuais sairão de Daraya rumo à cidade de Idleb (noroeste) enquanto 4 mil homens, mulheres e crianças serão levados para centros de alojamento", acrescentou a agência.

Uma fonte militar afirmou à AFP que "a etapa seguinte será a entrada do exército no local".

Um líder rebelde na cidade confirmou que havia um acordo "para esvaziar a cidade fazendo sair os civis e os combatentes a partir de sexta-feira".

"Os civis irão para regiões sob controle do regime (de Bashar al-Assad) nos arredores de Damasco enquanto os rebeldes deverão ir a Idleb ou regularizarem sua situação com o regime", acrescentou a fonte.

Daraya, um reduto rebelde com muito simbolismo, foi uma das primeiras cidades que se rebelou contra o governo em 2012 e também uma das primeiras a ser sitiada.

O governo de Damasco sempre negou o acesso de ajuda a Daraya, apesar de ter autorizado em muitas outras localidades. A cidade está localizada muito perto da base aérea de Maze, sede do Serviço de Inteligência da força aérea e que serve também como prisão.


Postar um comentário