Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Militares norte-americanos acreditam que EUA entrarão em guerra

Quase metade do Exército dos EUA está confiante de que durante o ano de 2019 seu país estará envolvido em um grave conflito armado, de acordo com o Military Times.
Sputnik

Segundo uma pesquisa recente, 46% dos participantes não duvidam que o confronto militar ocorrerá no próximo ano.


A título de comparação, em 2017, apenas 5% dos militares dos EUA esperavam um conflito armado, enquanto 50% descartaram um cenário de guerra e 4% não responderam.

Quanto aos inimigos mais prováveis, os soldados dos EUA mencionaram principalmente a Rússia e a China. Respectivamente, 72% e 69% dos entrevistados escolheram esses dois países.

Além disso, cerca de 57% estão preocupados com a presença de extremistas islâmicos nos Estados Unidos. Em particular, 48% destacaram uma possível ameaça por parte dos grupos terroristas Daesh e Al Qaeda (proibidos na Rússia e em outros países).

Ataque talibã a hotel em Cabul termina com um policial morto

Carro-bomba invadiu Northgate e provocou explosão.
Tiroteio deixou outros três jihadistas mortos.


France Presse


Os talibãs lançaram um carro-bomba contra um hotel para estrangeiros em Cabul, no Afeganistão, na madrugada desta segunda-feira (1º). Por sete horas, houve confronto dos terroristas com as forças de segurança. Um policial morreu e três ficaram feridos. 


Guarda de segurança afegão em imóvel danificado após ataque suicida em Cabul (Foto: Wakil Kossar / AFP Photo)
Guarda de segurança afegão em imóvel danificado após ataque suicida em Cabul (Foto: Wakil Kossar / AFP Photo)

Os três talibãs que executaram o ataque, incluindo o motorista do caminhão, morreram no atentado. Nenhum civil ficou ferido, segundo as forças de segurança, ao contrário do que anunciaram os insurgentes.

Na madrugada desta segunda, pouco depois de 1h30, a capital afegã acordou com o barulho de uma forte explosão, do momento em que os criminosos conseguiram invadir o hotel Northgate, protegido por grandes muros, com o carro-bomba.

Em seguida, houve um corte de energia elétrica de vários minutos. Os talibãs reivindicaram imediatamente a operação no hotel que já havia sido atacado em 2013.

O hotel fica na estrada de Bagram, perto do aeroporto militar e do aeroporto internacional de Cabul.

Em mensagem postada no Twitter, os talibãs anunciaram que o caminhão lançado contra o hotel pertencente aos "invasores americanos" abriu caminho para que combatentes entrassem na instalação com lança-granadas e armas.

As forças de segurança e a polícia estabeleceram um amplo perímetro de segurança ao redor do hotel. Durante a operação não divulgaram informações, ao contrário dos talibãs, que clamaram vitória nas redes sociais.

O porta-voz dos insurgentes, Zabihullah Mujahid, chegou a afirmar que os talibãs "mataram e feriram uma centena de invasores americanos".

As forças especiais aguardaram o amanhecer para atuar e mataram os dois talibãs que permaneciam entrincheirados.

O ataque foi o primeiro em Cabul desde a ação de 23 de julho, reivindicada pelo Estado Islâmico (EI), que deixou 80 mortos e 231 feridos. Os ataques suicidas tiveram como alvo uma manifestação da minoria xiita hazara e foi o mais grave na história da cidade.

O grupo extremista está presente em vários distritos da província de Nangarhar (leste), na fronteira com o Paquistão.



Postar um comentário

Postagens mais visitadas