Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Exército sírio bombardeia terroristas restantes no sul do país (VIDEO)

O exército sírio retomou os ataques de artilharia maciços contra os terroristas restantes na região de Tulul al Safa no deserto de As-Suwayda, no sul do país, depois de eles terem violado a trégua, segundo uma fonte do Exército.
Sputnik

De acordo com uma fonte que falou com a Sputnik Árabe, na terça-feira (16), o Exército sírio e os terroristas que ocupam as colinas de Tulul al Safa firmaram um acordo de cessar-fogo, segundo o qual os combatentes da Frente al-Nusra (organização terrorista proibida na Rússia e em vários outros países) se comprometeram a entregar as armas depois de serem cercados e sem saída.


Contudo, na manhã da quarta-feira (17) os terroristas atacaram as unidades do Exército sírio. Por sua vez, os soldados repeliram o ataque com êxito e contra-atacaram. Como resultado, dezenas de militantes foram mortos ou feridos. O Exército resolveu retomar os ataques maciços com peças de artilharia apoiadas do ar, tendo como objetivo eliminar as forças terroristas restantes até a épo…

Bombardeios perto de hospital matam dez civis na Síria

Três crianças estão entre vítimas na cidade de Mills, na província de Idleb.
ONG diz que ataque foi feito por força aérea síria ou seus aliados russos.


France Presse


Pelo menos dez civis, incluindo três crianças, morreram neste sábado (6) em ataques aéreos perto de um hospital no noroeste da Síria - informou o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH).


AMEER ALHALBI/AFP/JC

Os ataques atingiram a cidade de Millis, na província de Idleb, uma zona perto da Turquia sob controle de uma aliança de rebeldes opostos ao presidente sírio, Bashar al-Assad, e dirigida pelos islamitas da Frente Fateh al-Sham (antiga Frente Al-Nosra, que renunciou a seu vínculo com a rede Al-Qaeda), completou o OSDH.

Três crianças e duas mulheres estão entre as vítimas, acrescentou o Observatório.

A Força Aérea síria (ou a de seu aliado, a Rússia) é responsável por esses bombardeios, segundo o Observatório.

O centro de imprensa de Idleb, que divulga notícias sobre essa província, disse que seis pessoas morreram em bombardeios.

Os ataques aéreos do governo sírio e de seu aliado russo contra hospitais se intensificaram nos últimos dias na Síria, relata a União de Organizações de Assistência Médica e de Socorro (UOSSM), uma ONG síria.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), a Síria é o país mais perigoso para os profissionais da Saúde, com 135 ataques contra instalações médicas em 2015.



Postar um comentário

Postagens mais visitadas