Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Israel prende o governador palestino de Jerusalém

Motivo da detenção foram crimes cometidos na Cisjordânia ocupada, segundo a Organização para a Libertação da Palestina.
France Presse

Israel prendeu o governador palestino de Jerusalém por crimes que teria cometido na Cisjordânia ocupada, que não foram especificados, informou a Organização para a Libertação da Palestina (OLP).

O governador Adnan Gheith foi detido no sábado (20) à noite no bairro palestino de Beit Hanina, em Jerusalém Oriental, ocupada e anexada por Israel. Será apresentado a um tribunal dentro de quatro dias, afirma a OLP em um comunicado.

Para o dirigente da OLP Saeb Erakat, a detenção é "um novo passo contra a presença palestina em Jerusalém" e constitui uma violação da legislação israelense a respeito das instituições palestinas da cidade.

"As ameaças contra dirigentes palestinos, sua detenção, inclusive o 'sequestro' do governador Gheith, são parte de um plano que pretende sufocar todas as bases de uma solução política com dois Estados e com as f…

China prepara-se para guerra naval

O ministro da Defesa chinês, Chang Wanquan, chamou nesta quinta (4) as forças nacionais da China para se prepararem para defender a soberania do país em caso de "uma guerra no mar".


Sputnik

De acordo com a agência Xinhua, o ministro chinês fez essas declarações durante a inspeção das forças da defesa nacional na província de Zhejiang. 



 

Wanquan chamou os militares a reconhecer a gravidade da situação no que se refere à segurança nacional e prestou a atenção especial à ameaça marítima.

O ministro da Defesa disse que as Forças Armadas, a polícia e a população devem estar preparadas para mobilizar-se em caso de uma guerra e defender a soberania e a integridade territorial da China.

Além disso, Wanquan disse ser necessário promover a educação na área da defesa nacional.

Vários especialistas apostam que no futuro a região poderá se tornar um verdadeiro campo de batalha entre Washington e Pequim.

A disputa marítima entre os EUA e a China no mar do Sul da China tornou-se um problema sério nas relações entre as duas potências mundiais.

Em 12 de julho, o Tribunal Permanente de Arbitragem de Haia determinou que Pequim não tem "direitos históricos" sobre os territórios em disputa no Mar do Sul da China. As autoridades chinesas, no entanto, rejeitam a jurisdição de Haia para resolver a questão, e anunciaram que vão ignorar a decisão do tribunal.

Vários países, incluindo a China, o Japão, o Vietnã e as Filipinas, têm desacordos sobre as fronteiras marítimas e zonas de influência no mar do Sul da China e mar da China Oriental. A China acredita que alguns deles, como as Filipinas e o Vietnã, aproveitando o apoio dos EUA, escalam a tensão na região. Em janeiro de 2013, as Filipinas contestaram unilateralmente as reclamações da China em relação a uma série de territórios no mar da China do Sul no Tribunal Internacional do Direito do Mar, mas Pequim se recusou oficialmente a abordar essas questões no âmbito jurídico internacional.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas