Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Qual será resposta síria a novos mísseis 'inteligentes' dos EUA?

A cada declaração do presidente dos EUA, Donald Trump, sobre seus "mísseis inteligentes", os sistemas de defesa antiaérea sírios terão sua própria resposta de mísseis, o que foi demonstrado pelo país em 14 de abril, assegurou à Sputnik o membro do Conselho Público junto ao Ministério da Defesa da Rússia, Igor Korotchenko.
Sputnik

Mais cedo, Sergei Rudskoy, chefe da Direção-Geral Operacional do Estado-Maior das Forças Armadas russas, disse aos jornalistas que os especialistas russos tinham detectado evidências de 22 mísseis terem atingido alvos, de um total de 105 anunciados pelos EUA, na sequência do ataque aéreo dos EUA e seus aliados.


"Os mísseis podem ser 'inteligentes', mas os sistemas da defesa antiaérea podem ser eficientes, por isso, para cada míssil 'astuto' haverá um míssil guiado, o que foi demonstrado pelo ótimo treinamento profissional dos soldados sírios. Nas declarações de Trump há muita publicidade, e para cada tweet de Trump sobre seus '…

Decreto que prorroga uso das Forças Armadas no RN é publicado

Decreto assinado por Temer foi publicado no DOU nesta terça-feira (16).

Tropas federais devem permanecer na Grande Natal até o dia 23.


Do G1 RN

O decreto que prorroga o uso das Forças Armadas no Rio Grande do Norte foi publicado nesta terça-feira (16) no Diário Oficial da União. O presidente da República em exercício, Michel Temer, autorizou que as tropas federais permaneçam na região Metropolitana de Natal por mais 8 dias, ou seja, até a próxima terça-feira (23).


Tropas federais iniciam 'operação Potiguar' em Natal (Foto: Fabiano de Oliveira/ G1)
Tropas federais ficarão mais 8 dias na região Metropolitana de Natal (Foto: Fabiano de Oliveira/ G1)

Robinson Faria, governador do estado, havia solicitado nesta segunda (15) a prorrogação da permanência dos militares por mais 30 dias. Conforme o governador, apesar de a situação na região de Natal ter apresentado "significativa melhora, persistem indicativos de rebeliões a serem deflagrados em unidades do Sistema Penitenciário". Além disso, Faria pediu a liberação de efetivo extra para atuar na cidade de Mossoró, no Oeste potiguar. Contudo, o pedido não foi atendido.

Os militares começaram a atuar no dia 4 de agosto, com o prazo inicial para permanecer nas ruas até esta terça (16). Segundo a assessoria do Exército, aproximadamente 1.200 militares - sendo 920 do Exército, 220 da Marinha e 60 da Força Aérea - foram empregados na 'Operação Potiguar'.

Ataques

 
Foram registrados três ataques criminosos na madrugada desta segunda-feira (15). Dois casos aconteceram na Zona Oeste de Natal e outro no interior do estado. Primeiro, um caminhão foi incendiado em frente a uma oficina no bairro Felipe Camarão. Em seguida, um carro foi queimado no bairro Bom Pastor.

Em Venha-Ver, no Alto Oeste potiguar, um ônibus escolar foi incendiado no conjunto Santo Expedito. O veículo era antigo e havia sido arrematado em um leilão. O dono disse que o objetivo era transformar o ônibus em uma lanchonete no estilo food truck.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública (Sesed), até a última sexta-feira (12) já haviam sido contabilizados 114 atos criminosos em 40 cidades potiguares desde o início dos ataques. Ainda segundo a Sesed, 112 pessoas já foram presas suspeitas de envolvimento nos crimes.

A razão dos ataques é a instalação de bloqueadores de celular na Penitenciária de Parnamirim, na Grande Natal, feita no dia 28 de julho. Uma facção, formada dentro dos presídios, reivindica os ataques. O primeiro aconteceu na tarde de 29 de julho, quando um micro-ônibus foi incendiado em Macaíba, também na Grande Natal.

Desde então, as forças de segurança vêm registrados atentados a ônibus, carros, prédios da administração pública e bases policiais em todo estado. Um dos acessos ao Aeroporto Internacional Aluízio Alves, e até mesmo a vegetação do Morro do Careca – um dos principais cartões-postais do RN – também foram alvos dos atentados.

Transferências

 
Apontados como chefes da facção, 21 detentos foram transferidos para as penitenciárias federais de Catanduvas (PR), Campo Grande (MS) e Porto Velho (RO). Outros cinco presos, também apontados como chefes da facção, foram transferidos no início do mês para a Penitenciária Federal de Mossoró.



Postar um comentário