Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Militares norte-americanos acreditam que EUA entrarão em guerra

Quase metade do Exército dos EUA está confiante de que durante o ano de 2019 seu país estará envolvido em um grave conflito armado, de acordo com o Military Times.
Sputnik

Segundo uma pesquisa recente, 46% dos participantes não duvidam que o confronto militar ocorrerá no próximo ano.


A título de comparação, em 2017, apenas 5% dos militares dos EUA esperavam um conflito armado, enquanto 50% descartaram um cenário de guerra e 4% não responderam.

Quanto aos inimigos mais prováveis, os soldados dos EUA mencionaram principalmente a Rússia e a China. Respectivamente, 72% e 69% dos entrevistados escolheram esses dois países.

Além disso, cerca de 57% estão preocupados com a presença de extremistas islâmicos nos Estados Unidos. Em particular, 48% destacaram uma possível ameaça por parte dos grupos terroristas Daesh e Al Qaeda (proibidos na Rússia e em outros países).

Em Manaus, caças F-5M do Esquadrão Pacau estão em alerta

Agência Força Aérea

Militares do Esquadrão Pacau (1°/4° GAV) estão de sobreaviso no Aeroporto Internacional Eduardo Gomes, em Manaus (AM). A unidade aérea irá executar ações de defesa aérea, em prol da manutenção da soberania do espaço aéreo da capital amazonense, de forma a contrapor qualquer tipo de ameaça aos eventos dos Jogos Olímpicos 2016. A unidade aérea deslocou para o aeroporto antes do primeiro jogo, no dia 04 de agosto, e após a última partida, no dia 09 de agosto, regressará para a Base Aérea de Manaus. 


F-5M Manaus

De acordo com o comandante do Esquadrão Pacau, Tenente-Coronel Aviador Luciano Cantuaria Pietrani, essa missão traz ganho operacional para a unidade. “O Esquadrão Pacau tem participação fundamental nos Jogos Olímpicos 2016, pois irá ajudar na segurança do evento, protegendo os céus da cidade de Manaus. O ganho operacional é enorme”, afirmou. A aeronave está equipada com mísseis e armamentos de última geração.

As atividades do Esquadrão Pacau serão realizadas em parceria com outras organizações da Força Aérea Brasileira que vão contribuir para o cumprimento da missão. “Para que uma aeronave de defesa aérea decole é necessário um trabalho sinérgico entre as diversas organizações do Sétimo Comando Aéreo Regional e de outras organizações da Força Aérea Brasileira. O Comando de Defesa Aeroespacial Brasileiro, o COMDABRA, é o grande responsável pelos acionamentos, porém a missão só é cumprida com o apoio do VII COMAR e da Base Aérea de Manaus”, explicou o Tenente-Coronel Pietrani. Nos últimos dias, o 1°/4° GAV realizou exercício conjunto com o Segundo Grupo de Defesa Antiaérea para aperfeiçoar o treinamento de defesa antiaérea.

Para a missão dos Jogos Olímpicos, a Unidade passou por treinamentos específicos. Além da manutenção operacional de rotina, que prevê o treinamento dos procedimentos a serem realizados nos Jogos, foram realizados voos, aulas e instruções específicas para o evento.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas