Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

No decorrer da operação Ramo de Oliveira será criada zona de segurança na Síria

O primeiro-ministro turco Binali Yildirim anunciou a criação, durante a operação militar turca na província síria de Afrin, de uma faixa de segurança de 30 quilômetros.
Sputnik

O premiê, citado pela emissora Haberturk, adiantou também que a operação seria efetuada em quatro etapas.


"A operação vai decorrer em 4 etapas com o objetivo de criar uma faixa de segurança de 30 quilômetros, que será limpa de terroristas", disse o político, citado pela emissora NTV.

Yildirim adiantou que até agora não há mortos ou feridos entre o contingente turco que realiza a operação.

Mais cedo, o Estado-Maior da Turquia anunciou o início da operação "Ramo de Oliveira" contra os grupos curdos na província síria de Afrin, que começou precisamente às 14h00 locais (12h00 no horário de Brasília). De acordo com a entidade militar, a operação conta com a participação de 72 aviões, enquanto 108 dos 113 alvos planejados já foram eliminados. Há poucos dias, o premiê turco, Binali Yildirim, havia avanç…

EUA lançam produção de bomba nuclear modernizada

A nova bomba nuclear será a mais poderosa do arsenal dos EUA.


Sputnik

Administração Nacional de Segurança Nuclear dos EUA (NNSA em inglês) iniciou a fase preparatória de produção da bomba nuclear B61-12, comunica o site da instituição.


Bomba nuclear B61-12
Bomba nuclear B61-12 © flickr.com/ Sandia Labs

O trabalho da fase técnica do programa foi realizado durante 4 anos. O lançamento da produção em série está planejado para 2020.

"Atualmente a bomba B61 tem a configuração básica mais antiga do arsenal dos EUA. O programa de prolongamento do seu prazo de vida útil permite manter o sistema por mais 20 anos pelo menos", disse o chefe da instituição, Frank Klotz.

A bomba B61 é a principal arma termonuclear dos EUA. A décima segunda modificação da bomba está sendo elaborada para ser usada por caças estratégicos e aeronaves da aviação tática.

O analista militar e presidente da Academia de Problemas Geopolíticos Konstantin Sivkov disse que a ação de resposta a isso por parte da Rússia pode ser a instalação de misseis nucleares para sistemas tático-operacionais Iskander.

"A produção destas bombas vai expandir de forma essencial as possibilidades da aviação tática dos EUA para realização de assim chamados ataques “incapacitantes”, o que significa a liquidação dos nossos postos de comande de nível estratégico. Modificações anteriores destas bombas estão agora instaladas na Europa e não há dúvidas que a versão modernizada vai ser colocada na mesma região", acrescentou Sivkov.

Segundo o analista, B61-12 vai permitir atacar postos de comando subterrâneos bem protegidos e instalados em profundidade que podem ser destruídos apenas com um ataque cirúrgico de bomba nuclear.

A B61-12 vai substituir as bombas de terceira, quarta, sétima e décima séries.

Os EUA planejam instalar as bombas B61-12 nas bases europeias a partir de 2020.



Postar um comentário