Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

Forças Armadas da Ucrânia contam sobre pânico sofrido por soldados ucranianos

O Chefe do Estado Maior das Forças Armadas da Ucrânia, Viktor Muzhenko, reconhece que o exército ucraniano sofreu derrota, perto da cidade de Ilovaisk, impulsionada pelo pânico.


Sputnik

"Alguns soldados que dois anos atrás se entregaram ao pânico, até hoje não conseguiram se recuperar totalmente", escreve Muzhenko em sua página do Facebook


Militares ucranianos participam dos exercícios
Militares ucranianos © AFP 2016/ YURIY DYACHYSHYN

De acordo com ele, a fuga de algumas unidades durante ações militares nas proximidades de Ilovaisk enfraqueceu as posições das Forças Armadas ucranianas, permitindo ao inimigo reforçar as reservas e abastecer os soldados com equipamentos.

Ainda em dezembro de 2014, a mídia informou sobre fuga de soldados das Forças Armadas ucranianas perto de Ilovaisk, mas naquele tempo, representantes das forças armadas não chegaram a confirmar estas informações.

Os confrontos perto de Ilovaisk, na região de Donetsk, se iniciaram em agosto de 2014. Durante ofensiva, as forças da autoproclamada República Popular de Donetsk (RPD) cercaram algumas unidades das Forças Armadas da Ucrânia e outros batalhões. Segundo estimativas, Kiev perdeu entre 200 e mil soldados.

Antes, em abril de 2014, Kiev iniciou uma operação militar contra as autoproclamadas repúblicas de Donetsk e Lugansk, que declararam independência após o golpe de Estado, ocorrido na Ucrânia em fevereiro do mesmo ano.

Segundo os dados da ONU, o conflito no leste da Ucrânia já provocou a morte de mais de 9.500 pessoas e deixou mais de 22 mil feridos.



Postar um comentário