Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

China: 'Relatório do Pentágono distorce nossas intenções estratégicas'

A China rejeita firmemente as conclusões do relatório do Departamento de Defesa dos EUA sobre a situação militar e de segurança no país asiático, disse em comunicado o porta-voz do Ministério da Defesa chinês, Lu Kang.
Sputnik

"Em 17 de agosto, o Departamento de Defesa dos Estados Unidos divulgou o relatório sobre a situação militar e de segurança na China, interpretando mal as intenções estratégicas da China e apresentando a chamada ‘ameaça militar chinesa' […] Os militares chineses expressam sua firme oposição a esse respeito", diz a declaração.

"As alegações do relatório dos EUA são pura especulação", disse Kang, explicando que o programa de modernização do Exército chinês se destina a defender "os interesses da soberania, segurança e desenvolvimento do país" e para "providenciar a paz, estabilidade e prosperidade globais".

O porta-voz do ministério chinês também reiterou a posição firme de seu país em relação a Taiwan, que ele definiu como u…

Iraque executa militantes do EI por causa de assassinatos em 2014

Trinta e seis foram enforcados neste domingo.
Cerca de 1,7 mil soldados xiitas foram vítimas dos jihadistas.


Reuters


O Iraque informou neste domingo (21) que enforcou 36 militantes do Estado Islâmico condenados à morte pelo assassinato de 1,7 mil soldados de maioria xiita em um acampamento ao norte de Bagdá em 2014.


Imagem de vídeo publicado pelo Estado Islâmico no Youtube mostra Ali Hussein Kadhim em um grupo de 60 prisioneiros antes da execução  (Foto: Human Rights Watch/Divulgação)
Imagem de vídeo publicado pelo Estado Islâmico no Youtube mostra grupo de 60 prisioneiros antes da execução (Foto: Human Rights Watch/Divulgação)

As execuções foram realizadas em uma prisão em Nasiriya, uma cidade ao sul do Iraque, informou a televisão estatal citando o Ministério da Justiça.

O grupo radical sunita Estado Islâmico invadiu, em 2014, o acampamento Speicher, antiga base militar dos Estados Unidos ao norte da cidade natal de Saddam Hussein, Tikrit.

O soldado Ali Hussein Kadhim, de 23 anos, que disse ter conseguido escapar do massacre ao se fingir de morto em meio a colegas executados, avaliou na época que cerca de 3 mil soldados estavam no grupo que tentou fugir da base com roupas civis, mas acabaram interceptados pelo EI. Ele não duvida da conta do próprio grupo radical, que afirma ter executado 1,7 mil deles.



Postar um comentário

Postagens mais visitadas