Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Adeus a tecnologias 'stealth': novo radar russo pode detectar aviões furtivos

Tecnologias russas capazes de detectar aviões furtivos do inimigo podem vir a fazer parte do sistema da defesa antiaérea unida da OTSC – Organização do Tratado de Segurança Coletiva, declarou o chefe do Estado-Maior Conjunto da aliança, Anatoly Sidorov.
Sputnik

Inovações russas capazes de desativar tecnologias furtivas do inimigo podem vir a ser usadas na criação do sistema de defesa antiaérea unida da OTSC, declarou militar, citado pelo jornal Rossiyskaya Gazeta. Sidorov comentou que essas inovações seriam eficazes tanto contra aviação do inimigo como contra ataques com mísseis.



O sistema Rezonans-NE funciona graças ao princípio de reflexão ressonante de ondas de rádio da superfície de aparelhos aéreos, facilitando vigilância de aeronaves e mísseis do inimigo, explicou Aleksandr Scherbinko, vice-diretor executivo da empresa de design Rezonans.

"Este modelo pode ser de grande interesse, levando em consideração criação do sistema de defesa antiaérea unida da OTSC, cuja inauguração est…

Japão dá ordem de intercepção de mísseis da Coreia do Norte

O Japão vai passar em breve a interceptar todos os mísseis da Coreia do Norte ou de seus fragmentos, comunica canal de televisão NHK, citando fontes governamentais.


Sputnik


A razão desta decisão foi o lançamento de mais um míssil pela Coreia do Norte na quarta-feira. Os fragmentos de míssil teriam caído na zona econômica exclusiva do Japão. 


Sistema da defesa antimíssil PAC-3
Sistema de defesa antimíssil PAC-3 © AP Photo/ Shizuo Kambayashi

Militares japoneses não conseguiram detetar a preparação do lançamento, por isso foi concluído que ele foi realizado a partir de um veículo lançador móvel.

Até o momento, o ministro do Japão tinha sempre dado ordens às forças da autodefesa de destruição dos mísseis sempre que existissem sinais de preparação do lançamento por parte da Coreia do Norte, comunica NHK.

O governo do Japão, após analisar o último lançamento, concluiu que se tratou de um míssil balístico da médio alcance Nodon, que pode atingir o território do Japão.

Tomando em consideração que é muito difícil prever o lançamento de míssil de um veículo lançador, o governo pode emitir ordem de intercepção de mísseis como procedimento regular, para que os contratorpedeiros com mísseis guiados, equipados com complexos Aegis e sistemas da defesa aérea PAC-3, estejam em alerta máximo.

A Coreia do Norte realizou na quarta-feira (05) mais um lançamento de mísseis, um dos quais caiu na zona econômica exclusiva do Japão.



Postar um comentário