Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

No decorrer da operação Ramo de Oliveira será criada zona de segurança na Síria

O primeiro-ministro turco Binali Yildirim anunciou a criação, durante a operação militar turca na província síria de Afrin, de uma faixa de segurança de 30 quilômetros.
Sputnik

O premiê, citado pela emissora Haberturk, adiantou também que a operação seria efetuada em quatro etapas.


"A operação vai decorrer em 4 etapas com o objetivo de criar uma faixa de segurança de 30 quilômetros, que será limpa de terroristas", disse o político, citado pela emissora NTV.

Yildirim adiantou que até agora não há mortos ou feridos entre o contingente turco que realiza a operação.

Mais cedo, o Estado-Maior da Turquia anunciou o início da operação "Ramo de Oliveira" contra os grupos curdos na província síria de Afrin, que começou precisamente às 14h00 locais (12h00 no horário de Brasília). De acordo com a entidade militar, a operação conta com a participação de 72 aviões, enquanto 108 dos 113 alvos planejados já foram eliminados. Há poucos dias, o premiê turco, Binali Yildirim, havia avanç…

Marinha pede reforço da população na busca por piloto e caça desaparecidos

Equipes atuam em Saquarema, local da queda, Cabo Frio e Arraial, no RJ.

Acidente aconteceu durante um treinamento na última terça-feira (26).


Gustavo Garcia | G1 Região dos Lagos

A Marinha do Brasil realiza um trabalho de conscientização com a população costeira como reforço no trabalho de busca pelo piloto e o caça AF-1 Skyhawk, que desapareceram durante um treinamento na costa de Saquarema, Região dos Lagos, na terça-feira (26). O órgão pede que as pessoas entrem em contato diante de qualquer indício do militar ou da aeronave. As equipes atuam em Saquarema, Cabo Frio e Arraial do Cabo, já que "as características do mar do local do acidente sofrem grande influência das fortes correntes características da região", como explica a Marinha.


Skyhawk da Marinha do Brasil passou por testes na Base Aérea de Natal (Foto: Fred Carvalho/G1)
Skyhawk da Marinha do Brasil pode ultrapassar os mil k/h (Foto: Fred Carvalho/G1)

O órgão afirma que é possível apontar a localização exata do impacto do caça com a água nas imediações de Saquarema através do relato de moradores e do outro piloto envolvido no acidente. De acordo com a Marinha, duas aeronaves realizavam o treinamento e uma retornou para a base em segurança. A aeronave que caiu no mar perdeu o contato com o radar de controle aéreo quando entrou em contato com a água. A identidade do piloto que está desaparecido não foi revelada.

Piloto pode não ter ejetado

 
Um Inquérito Policial Militar foi aberto no dia seguinte ao acidente, quarta-feira (27), para apurar as causas do choque entre dois caças no ar. Questionada sobre possíveis falhas no localizador ou na ejeção do banco do piloto, a Marinha disse apenas que "até o presente momento, não há como afirmar nada em relação ao acidente". "As investigações estão em curso e tem por objetivo apurar os fatos relacionados ao caso", completou o órgão em nota enviada nesta terça-feira (2).

Velocidade da aeronave não pode ser calculada

 
Segundo a Marinha, o AF-1 Skyhawk que desapareceu após se chocar com outro caça pode atingir uma velocidade de Mach.95 (95% velocidade do som), ou seja, mais de mil km/h. Mas, de acordo com o órgão, não é possível precisar a velocidade na aeronave viajava quando atingiu a água.

Navio-sonda


O navio-sonda de Pesquisa Hidroceanográfico "Vital de Oliveira", da Marinha do Brasil, atua próximo à costa de Saquarema desde a quarta-feira (27) junto com outras embarcações. Helicópteros estão sobrevoando o mar para tentar encontrar vestígios do caça. Agentes dos bombeiros fazem varreduras na areia com quadriciclos.

O navio tem 78 metros de comprimento, possui cinco laboratórios e tem capacidade para 130 pessoas.

Entre os equipamentos estão ecobatímetros multifeixe, perfilador de velocidade do som e sonar de varredura lateral. A embarcação pode ser operada remotamente.



Postar um comentário