Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Oficial do Hezbollah: nossos mísseis podem atingir qualquer ponto de Israel

O Hezbollah é capaz de atingir qualquer ponto em Israel com seus mísseis, disse Sheikh Naim Qassem, secretário-geral adjunto do movimento libanês Hezbollah em entrevista ao jornal iraniano al-Vefagh.
Sputnik

"Não há um único ponto nos territórios ocupados fora do alcance dos mísseis do Hezbollah", disse Qassem.


Segundo o alto funcionário, os mísseis servem para impedir Israel de iniciar outra guerra com o Líbano, expondo a "frente israelense".

Qassem comentou também a guerra na Síria, onde o Hezbollah desempenhou um papel ativo na assistência ao governo sírio contra vários agrupamentos terroristas, incluindo o Daesh e Frente al-Nusra (grupos terroristas proibidos na Rússia). O funcionário elogiou as vitórias alcançadas contra os terroristas, mas criticou os EUA por sua suposta obstrução ao processo de paz.

As tensões entre Tel Aviv e o movimento libanês xiita Hezbollah aumentaram em 4 de dezembro depois que as tropas israelenses lançaram a operação Northern Shield, dest…

Navio da Petrobras passa a auxiliar Marinha nas buscas por piloto de caça

Embarcação da Petrobras possui veículo submarino operado remotamente.
Objetivo é vasculhar o fundo do mar em locais de visibilidade restrita.


Do G1 Região dos Lagos

Um navio da Petrobras passou a auxiliar nas buscas pelo piloto de caça que caiu junto a aeronave no litoral de Saquarema, na Região dos Lagos do Rio. A informação foi confirmada pela Marinha nesta quinta-feira (11). O acidente foi no dia 26 de julho e, desde então, o piloto e o caça estão desaparecidos. De acordo com a Marinha, a embarcação fornecida pela Petrobras possui um veículo submarino operado remotamente. O objetivo é que o submarino possa vasculhar o fundo do mar em locais de visibilidade restrita.


Navio da Petrobras Fugro Aquarius

Por meio de nota a Petrobras confirmou que participa da operação. A área de buscas se concentra entre Maricá e Armação dos Búzios. Também nesta quinta-feira o Comandante da Marinha, Almirante de Esquadra Eduardo Bacellar Leal Ferreira, esteve na Base Aérea Naval de São Pedro da Aldeia e visitando os familiares do piloto desaparecido.

A Marinha conta com um efetivo que inclui os navios de Socorro Submarino “Felinto Perry” e o Navio de Pesquisa Hidroceanográfico “Vital de Oliveira”, principais embarcações da corporação na área de buscas. A operação também conta com aeronaves, lanchas e viaturas por terra.

Em entrevista ao G1 na terça-feira (9), o Capitão de Mar e Guerra Fonseca Júnior, Chefe de Estado Maior do Comando da Força Aeronaval, faliou sobre a dificuldade em conseguir sucesso nas buscas, que seguem sem interrupções.

"São as características do mar, as condições de ressaca que por determinados momentos dificultam um pouco as ações de buscas, mas o processo está andando de uma maneira normal", disse Fonseca Júnior.

A única evolução nas buscas foi divulgada pela Marinha duas semanas após o acidente. A corporação encontrou os dois pneus do caça AF-1 Skyhawk a cerca 4 km da costa de Saquarema.

O acidente aconteceu durante um treinamento padrão de ataque a alvos de superfície. Dois modelos idênticos do caça, que é modernizado, se chocaram no ar. O outro caça conseguiu voltar para a base, em São Pedro da Aldeia. Segundo a Marinha, o piloto deste caça conseguiu ver o outro "cair de barriga" na água.

As imagens das embarcações atuando na costa do balneário podem ser vistas através do aplicativo MarineTraffic, que mostra o posicionamento dos navios em tempo real, baseado em dados do Automatic Identification System (AIS), um sistema de monitoração por satélite.

Nota da Marinha
Veja na íntegra a nota da Marinha divulgada nesta quinta (11):


A Marinha do Brasil (MB), em complemento às Notas publicadas anteriormente, informa que as buscas ao piloto e à aeronave AF-1B, desaparecidos no mar desde terça-feira (26/07), prosseguem de forma contínua, inclusive com o Navio de Socorro Submarino “Felinto Perry” e o Navio de Pesquisa Hidroceanográfico “Vital de Oliveira”. As equipes de apoio permanecem no local com emprego de aeronaves, lanchas e viaturas, estendendo as buscas pelas praias das regiões de Maricá, Saquarema, Arraial do Cabo e Cabo Frio.

Na quarta-feira (10/08) iniciou-se uma nova etapa das buscas, em parceria com a Petrobras, com a utilização do navio “Fugro Aquarius” que possui a capacidade de realizar dragagem e escavação em águas profundas. A embarcação possui, ainda, veículo submarino operado remotamente (ROV) - equipados com câmeras de vídeo e sensores. Os ROVs são operados por controle remoto e podem vasculhar espaços com condições de visibilidade restrita.



Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas