Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

Prontos para competir : Será que Bavar-373 é concorrente do S-300 russo?

No domingo (21) o presidente iraniano Hassan Rouhani apresentou o sistema de defesa antiaérea Bavar-373 que é capaz de atingir alvos a altitudes elevadas e é semelhante ao S-300 russo.


Sputnik

A produção do sistema de defesa antiaérea começou depois de o contrato de fornecimento de S-300 por Moscou a Teerã ter sido posto em questão em 2010. 

Sistema da defesa antiaérea iraniano Bavar-373
Bavar 373 © Foto: Iran Military Warfareknow facebook


Entretanto, altos funcionários do Irã declararam repetidamente que o sistema produzido por eles é um análogo completo do S-300 russo, ou pode ser mesmo um sistema mais potente.

Hoje em dia o Irã tem à sua disposição ambos os sistemas, o Bavar-373 e o S-300. Será que eles vão ser concorrentes?

"Do ponto de vista técnico é difícil hoje avaliar como estes dois sistemas de defesa antiaérea se distinguem ou em que são semelhantes, se podem ser usados ao mesmo tempo contra alvos iguais ou não. Mas outra coisa é evidente, a política do setor da Defesa do Irã se destina à satisfazer suas próprias necessidades militares, nomeadamente cumprir objetivos estratégicos, o principal dos quais é a defesa das suas fronteiras", disse à Sputnik o especialista iraniano Mahmuud Shoori. Ao mesmo tempo, segundo ele, o Irã precisa de um afluxo de ideias e tecnologias do estrangeiro. É por isso que foi assinado o contrato de fornecimento do S-300.

"Pessoalmente não vejo problemas em o Irã continuar comprando sistemas S-300 russos no âmbito do contrato e ao mesmo tempo apresentar a produção de sua indústria militar", acrescentou ele.

Segundo o analista, apesar das diferenças na qualidade e funcionalidade destes dois sistemas, eles podem se completar um a outro.

Além disso, o analista acrescentou que, em sua opinião, a cooperação técnica militar entre a Rússia e o Irã será continuada.

"Pessoalmente acredito que a cooperação técnica militar entre os nossos países será continuada. O objeto de acordos futuros vai depender de muitos fatores, nomeadamente, do desenvolvimento das relações bilaterais entre a Rússia e o Irã", acrescentou ele.

Os S-300, análogos aos mísseis Patriot dos Estados Unidos, têm alcance de até 200 quilômetros, o que permitirá ao Irã contar em breve com um escudo antimísseis considerado invulnerável.

​O contrato de fornecimento dos S-300 ao Irã foi assinado em 2007. No entanto, a sua realização foi suspensa em 9 de junho de 2010 devido à resolução do Conselho de Segurança da ONU que proibiu a entrega ao Irã de armas avançadas, incluindo mísseis e sistemas de mísseis. Em abril do ano passado, o presidente russo Vladimir Putin revogou a proibição de fornecimento de S-300 ao Irã.


Postar um comentário