Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Avança ofensiva antiterrorista do Exército sírio no sul de Damasco

O exército sírio avançou hoje em sua ofensiva contra os terroristas do grupo Estado Islâmico ao destruir túneis e trincheiras erguidas na localidade de Hayyar Asswad e no Acampamento de Refugiados Palestinos de Yarmouk.
Prensa Latina

Damasco - Segundo fontes militares, com os ataques aos refúgios dos radicais do Estado Islâmico e da Frente al-Nusra, as tropas governamentais limitaram os movimentos dos takfiristas entre Qadam e Hayyar Asswad, no sul de Damasco.


De acordo com os informes, nas últimas horas o Exército tomou o controle das instalações de Joura, na parte oriental do bairro Qadam, e avançou nos distritos de Yalda e Bebila, vizinhos de Yarmouk.

Desde a última quinta-feira, a aviação síria e tropas terrestres realizam fortes bombardeios contra os grupos extremistas, com a determinação de libertar as áreas que esses grupos ocupam atualmente.

Até o momento, um elevado número de jihadistas, entre eles cinco cabeças emires, foram abatidos pelas tropas governamentais em aliança com br…

Terroristas usam armas químicas na Síria e deixam civis mortos

Terroristas detonaram bombas com gás venenoso na cidade síria de Aleppo, matando cinco civis, disse a RIA Novosti na cidade anfitriã. A informação é da agência Sputnik, citando forças de auto-defesa locais.


Sputnik


"Os terroristas usaram armas que contêm substâncias que causam asfixia e relaxam o sistema nervoso. Cinco pessoas morreram sufocadas", disse a fonte. 


Simulação de como responder a um ataque de armas químicas na cidade síria de Aleppo
© AFP 2016/ JM LOPEZ

As bombas teriam explodido nos bairros de Bab al-Faraj e Bustan-Kel-Ab. Em outras ocasiões, os terroristas já haviam usado projéteis com gás sufocante durante o bombardeio a bairros curdos de Aleppo em abril e maio.

Os militantes do Daesh (Estado islâmico) frequentemente usaram armas químicas à base de cloro na Síria e no Iraque para atacar posições da milícia curda e do exército iraquiano. Segundo alguns relatos, os militantes têm estabelecido a sua produção nos laboratórios da universidade da cidade iraquiana de Mosul, ocupada pelos grupos terroristas.


 
Postar um comentário