Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Especialista: exército sírio deteve 300 militares franceses de diversas patentes

O presidente Vladimir Putin, em conversa com o presidente sírio Bashar Assad, em Sochi, declarou que, devido ao sucesso da luta antiterrorista das forças sírias e ao início do processo político, as tropas estrangeiras deveriam se retirar do território da Síria.
Sputnik

"A declaração de Vladimir Putin durante seu encontro com Bashar Assad, sobre a necessidade da retirada dos contingentes estrangeiros da Síria, arruína os sonhos dos agressores, que contam com a tentativa de realizar seus objetivos na região através de mercenários criminosos", disse à Sputnik Árabe Akram al Shalli, analista da Gestão Síria de Crise e Guerras Preventivas.

"Nas mãos do exército sírio há oficiais dos serviços de inteligência dos EUA, Grã-Bretanha, países árabes e Israel. Por exemplo, só o número de militares franceses de diversos escalões é de 300 pessoas. Notamos tentativas de exercer pressão sobre o governo sírio, inclusive para libertar os militares estrangeiros presos. Mas esses sonhos não p…

Bombardeio no Iêmen mata 25 civis, a maioria mulheres e crianças

Coalizão árabe bombardeou a cidade portuária de Hudaydah.
Cidade está em mãos de rebeldes houthis.


EFE

Pelo menos 25 civis, a maioria mulheres e crianças, morreram e mais de 70 ficaram feridos em um ataque aéreo da coalizão árabe na cidade portuária de Hudaydah, no Iêmen, em mãos dos rebeldes houthis, informaram nesta quinta-feira (22) fontes governamentais.


Coalizão árabe bombardeou a cidade portuária de Hudaydah (Foto: Khaled Abdullah/Reuters)
Coalizão árabe bombardeou a cidade portuária de Hudaydah (Foto: Khaled Abdullah/Reuters)

Um porta-voz do escritório provincial do Ministério de Saúde iemenita explicou que o bombardeio efetuado na noite de quarta (21) destruiu sete casas localizadas no bairro popular de Suq al Hunud, no centro de Hudaydah.

Entre os feridos há 23 em estado grave, por isso não está descartado que o número de mortos aumente.

Hudaydah, localizada no litoral do Mar Vermelho, cerca de 220 km da capital iemenita, Sana, tem uma grande importância pois abriga o principal porto do norte do Iêmen.

O ataque ao bairro de Suq al Hunud coincidiu com outro bombardeio da coalizão árabe, liderada pela Arábia Saudita, em um quartel da Segurança Central de Hudaydah.

Esta sede militar está ocupada pelos milicianos houthis e seus aliados. Não há informações se eles sofreram baixas no bombardeio.

A aliança árabe começou uma ofensiva militar no Iêmen em março de 2015, em resposta ao avanço dos rebeldes em direção a Aden, que forçou o exílio do presidente iemenita, Abd Rabbuh Mansur Al-Hadi, em Riad.




Postar um comentário