Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Kim Jong-un: Após 'declaração de guerra feroz', Trump e os EUA pagarão caro

Em um raro pronunciamento, o líder norte-coreano Kim Jong-un disse nesta sexta-feira (horário local) que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e seu povo "pagarão caro"pelas “palavras excêntricas” que pregaram a destruição da Coreia do Norte.
Sputnik

Em seu discurso na Assembleia Geral da ONU, Trump afirmou que os EUA estão prontos para a "destruição total" da Coreia do Norte, caso isso se faça necessário.


Além disso, o presidente estadunidense chamou Kim de "Homem Foguete", pelo que considera uma "tática suicida" de provocações contra Washington e o resto dos seus aliados na Ásia.

"Agora estou pensando muito sobre a resposta que ele poderia ter esperado quando ele se permitiu que palavras tão excêntricas tropeçassem da sua língua", disse Kim, em declarações reproduzidas pela Agência Central de Notícias da Coreia (KCNA).

"Qualquer coisa que Trump possa ter esperado, ele enfrentará resultados além de suas expectativas. Eu vou, …

China e Rússia concluem exercícios navais Cooperação Marítima 2016

As Marinhas da China e da Rússia concluíram na segunda-feira (19) os exercícios militares conjuntos no mar do Sul da China. 


Sputnik

Falando na cerimónia de encerramento dos exercícios, o vice-comandante da Marinha da China, Wang Hai saudou os resultados do exercício, dizendo que as manobras militares atingiram os objetivos colocados, segundo a agência chinesa de notícias Xinhua.


Navio da Marinha chinesa Qiandaohu e fragata Yiyang
Navio da marinha chinesa Qiandaohu e fragata Yiyang © AFP 2016/ Adam Warzawa

Wang Hai declarou que, graças à Cooperação Marítima 2016, as Marinhas dos dois países desenvolveram capacidades de combate conjuntas e aumentaram o nível de informação e padronização de manobras conjuntas. Ele disse estar confiante de que a cooperação entre as forças navais dos dois países no futuro se alargará e de que seus contatos serão ainda mais próximos.

O vice-comandante da Marinha russa, Aleksandr Fedotenkov, observou por sua vez que as Marinhas dos dois países compartilharam experiências teóricas e práticas de combate e conseguiram estabelecer boa coordenação nos exercícios. Ele está convencido de que as Marinhas da Rússia e da China devem manter uma estreita cooperação para combater as novas ameaças no mar e, portanto, em conjunto salvaguardar a paz e a estabilidade na região e em todo o mundo.


Os exercícios Cooperação Marítima 2016 tiveram lugar de 13 a 19 de setembro no mar do Sul da China. Nas manobras estiveram envolvidos submarinos, navios de superfície, aviões, helicópteros, e veículos anfíbios blindados.


Postar um comentário