Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Confira a arma secreta da China em uma eventual guerra contra os EUA

A evidência do emprego de minas marítimas na doutrina da guerra naval chinesa segue crescendo.
Sputnik

Nas fases finais da Guerra do Pacífico, os estrategistas americanos combinaram genialmente dois sistemas de armas, o revolucionário bombardeiro de longo alcance B-29 e as relativamente simples minas marítimas com explosivos magnéticos ou acústicos, causando um caos na economia e moral japoneses. O esforço para semear profusamente as águas japonesas com milhares de minas foi denominado de "Operação Fome" e esse esforço provou sua alta eficiência para pôr o Japão de joelhos. Contudo, a Marinha americana também foi vítima do emprego hábil da guerra de minas e esses casos são mais recentes.

O caso clássico provém da Guerra da Coreia, quando minas foram colocadas ao largo da Coreia do Norte, evitando que os estadunidenses realizassem uma invasão eficiente em Wonsan. Durante a Guerra do Golfo Pérsico, dois navios norte-americanos, o "Tripoli" e o "Princeton", for…

Comandante iraniano: Teerã tem míssil capaz de atingir Israel

Enquanto o Irã está reforçando seu potencial bélico, um comandante iraniano afirma que Teerã dispõe de míssil capaz de atingir Israel. 

Sputnik

Na semana passada os militares iranianos realizaram um desfile em Teerã exibindo grande variedade de tanques, aviões militares e mísseis. Segundo Amir Ali Hajizadeh, brigadeiro-general e comandante da Divisão Aeroespacial do Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica, um destes mísseis tem capacidade de atingir Israel com suas 1,2 mil quilómetros de alcance. "O regime sionista é o nosso maior alvo", destaca o comandante citado pelo jornal The Jerusalem Post. 

Míssil balístico iraniano lançado a partir de terreno desconhecido, 9 de março de 2016
Míssil balístico iraniano © REUTERS/ Mahmood Hosseini


Ainda segundo o comandante, "o Irã não precisa de mísseis com alcance superior a 2.000 quilômetros, pois o alcance máximo necessário para os mísseis do Irã é aquele que possa atingir territórios ocupados por Israel".

Hajizadeh indica que durante o desfile foi exibido o míssil Zolfaghar, com alcance de cerca de 745 quilómetros, que levava uma mensagem contra as provocações de Israel: "Se os líderes do regime sionista fizerem uma ação errada, a República Islâmica reduzirá Tel Aviv e Haifa a cinzas."

O general Mohammad Hossein Bagheri, chefe do Estado-Maior das Forças Armadas iranianas comunicou que Teerã está preocupado com o recente acordo de ajuda militar firmado entre os EUA e Israel no valor de 38 bilhões de dólares, razão pela qual o Irã precisa reforçar suas capacidades defensivas.



Postar um comentário

Postagens mais visitadas