Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Especialista: exército sírio deteve 300 militares franceses de diversas patentes

O presidente Vladimir Putin, em conversa com o presidente sírio Bashar Assad, em Sochi, declarou que, devido ao sucesso da luta antiterrorista das forças sírias e ao início do processo político, as tropas estrangeiras deveriam se retirar do território da Síria.
Sputnik

"A declaração de Vladimir Putin durante seu encontro com Bashar Assad, sobre a necessidade da retirada dos contingentes estrangeiros da Síria, arruína os sonhos dos agressores, que contam com a tentativa de realizar seus objetivos na região através de mercenários criminosos", disse à Sputnik Árabe Akram al Shalli, analista da Gestão Síria de Crise e Guerras Preventivas.

"Nas mãos do exército sírio há oficiais dos serviços de inteligência dos EUA, Grã-Bretanha, países árabes e Israel. Por exemplo, só o número de militares franceses de diversos escalões é de 300 pessoas. Notamos tentativas de exercer pressão sobre o governo sírio, inclusive para libertar os militares estrangeiros presos. Mas esses sonhos não p…

Erdogan : Armas americanas entregues aos curdos passam para o Daesh

Metade das armas que os EUA forneceram três dias atrás às forças de autodefesa curdas sírias acabou por passar para as mãos dos militantes do Daesh, disse o presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan. 


Sputnik

"Três dias atrás, três aviões com armas americanas para as forças dos curdos sírios aterrissaram na cidade síria de Kobane. Metade destas armas passou para as mãos dos terroristas do Daesh. Nós avisámos disso Barack Obama, mas não conseguimos convencê-lo. Agora, infelizmente, eles jogam o mesmo jogo. Isso não levará a resultados concretos, mas apenas contribuirá para a continuação do derramamento de sangue na Síria", disse Erdogan discursando numa recepção em Nova York. Seu discurso foi citado pela agência Anadolu.


Presidente turco Reccep Tayyip Erdogan
Recep Tayyip Erdogan © REUTERS/ Murat Cetinmuhurdar/Presidential Palace


Segundo o líder turco, para Ancara é difícil compreender as razões pelas quais Washington apoia o Partido da União Democrática (PYD) e as forças de autodefesa dos curdos sírios, que a Turquia considera como grupos terroristas ligados ao Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK).

"Dizem-nos que estão lutando contra o Daesh. Será que a Frente al-Nusra não está lutando contra o Daesh? Então por que não a apoiam e a incluíram na lista dos [grupos] terroristas? Onde está a lógica? Por que não reconhecem como terroristas aqueles que o são considerados por Ancara?", declarou Erdogan. 


Há que lembrar que anteriormente os EUA abriram um centro de coordenação na cidade síria de Tel Abyad para preparar a liberação de Raqqa dos terroristas do Daesh.

Postar um comentário