Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Exército Sírio é atacado a partir de área ocupada por EUA e FDS

Tropas do Exército Árabe Sírio que participam de uma ofensiva contra terroristas em Deir ez-Zor foram alvo de ataques lançados a partir de uma área dominada por militantes das Forças Democráticas da Síria (FDS) e unidades especiais das Forças Armadas americanas, conforme revelou o Ministério da Defesa da Rússia nesta terça-feira.
Sputnik

"No último dia, grupos de assalto das tropas governamentais sírias, com apoio da Força Aeroespacial russa, cruzaram o Eufrates e continuaram a expandir a cabeça de ponte capturada a leste de Deir ez-Zor, apesar da dura resistência dos militantes do Daesh", afirmou o porta-voz da Defesa russa, major-general Igor Konashenkov, destacando o avanço das forças de Damasco. 


Segundo o militar, as tropas leais ao presidente Bashar Assad conseguiram liberar uma área de 60 quilômetros quadrados na zona oriental, mas encontraram obstáculos.

"De acordo com relatos de comandantes sírios na linha de frente, o Exército Sírio sofre contra-ataques mais seve…

Helicóptero SH-16 Seahawk passa por avaliação operacional

Marinha do Brasil | Poder Naval

No dia 14 de agosto, a aeronave SH-16 (3036) do Comando do 1º Esquadrão de Helicópteros Antissubmarino (EsqdHS-1), se deslocou da Base Aérea Naval de São Pedro da Aldeia para o Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), a fim de cumprir os testes exploratórios do equipamento de Medidas de Apoio à Guerra Eletrônica (MAGE) e dos sistemas de Medidas de Ataque Eletrônico (MAE), referentes a sua avaliação operacional. As avaliações aconteceram entre os dias 15 e 19 de agosto e foram acompanhadas por representantes do Comando em Chefe da Esquadra, do Centro de Análises de Sistemas Navais, do Centro de Guerra Eletrônica da Marinha e do EsqdHS-1. 


SH-16 em avaliação
SH-16 em avaliação

Foram conduzidos testes exploratórios de forma inédita, utilizando o equipamento de geração de cenários de guerra eletrônica “Excalibur”, do Laboratório de Guerra Eletrônica, com toda a infraestrutura disponibilizada pelo Instituto de Pesquisas e Ensaio em Voo (IPEV), ambos da Força Aérea Brasileira. A atividade permitiu testar, de forma flexível, as diversas funcionalidades do equipamento MAGE e dos sistemas de MAE da aeronave embarcados, sem a necessidade de voar dentro de um cenário real de emissores para teste do sistema.

Ressalta-se ainda que foi realizado o primeiro teste na América Latina com emprego de fibra óptica em transmissão de sinais radar para avaliação operacional da aeronave.

A realização dos testes em colaboração com o ITA e o IPEV incrementou a interoperabilidade entre as Forças e sua continuidade permitirá uma economia expressiva de recursos para a Marinha.



Postar um comentário