Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Caça F-22 dos EUA faz pouso de emergência no Alasca

Nesta quarta-feira (11), um caça de quinta geração F-22 Raptor da Força Aérea dos EUA fez um pouso de emergência em uma base militar no Alasca, de acordo com a agência AP.
Sputnik

De acordo com a agência, a aeronave aterrissou na base de Elmendorf-Richardson, na cidade de Anchorage, devido a uma falha no funcionamento do chassi de aterrissagem.

As imagens do acidente divulgadas pelo Facebook demonstram que uma das rodas não saiu e a aeronave acabou pousando sobre sua asa esquerda.

O piloto saiu ileso. Entretanto, a porta-voz da Força Aérea dos EUA, Erin Eaton, informou sobre o início de uma investigação da ocorrência.

Outros acidentes

O avião F-22 é um caça bimotor monolugar produzido pela corporação norte-americana Lockheed Martin. A Força Aérea dos EUA conta com 186 aeronaves do modelo.

Em abril, foi registrada uma falha de motor em um F-22 durante a decolagem da base aérea de Fallon, como resultado a aeronave acabou caindo sobre a pista.

Outro acidente, que também ocorreu em abril, teve lu…

Helicóptero SH-16 Seahawk passa por avaliação operacional

Marinha do Brasil | Poder Naval

No dia 14 de agosto, a aeronave SH-16 (3036) do Comando do 1º Esquadrão de Helicópteros Antissubmarino (EsqdHS-1), se deslocou da Base Aérea Naval de São Pedro da Aldeia para o Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), a fim de cumprir os testes exploratórios do equipamento de Medidas de Apoio à Guerra Eletrônica (MAGE) e dos sistemas de Medidas de Ataque Eletrônico (MAE), referentes a sua avaliação operacional. As avaliações aconteceram entre os dias 15 e 19 de agosto e foram acompanhadas por representantes do Comando em Chefe da Esquadra, do Centro de Análises de Sistemas Navais, do Centro de Guerra Eletrônica da Marinha e do EsqdHS-1. 


SH-16 em avaliação
SH-16 em avaliação

Foram conduzidos testes exploratórios de forma inédita, utilizando o equipamento de geração de cenários de guerra eletrônica “Excalibur”, do Laboratório de Guerra Eletrônica, com toda a infraestrutura disponibilizada pelo Instituto de Pesquisas e Ensaio em Voo (IPEV), ambos da Força Aérea Brasileira. A atividade permitiu testar, de forma flexível, as diversas funcionalidades do equipamento MAGE e dos sistemas de MAE da aeronave embarcados, sem a necessidade de voar dentro de um cenário real de emissores para teste do sistema.

Ressalta-se ainda que foi realizado o primeiro teste na América Latina com emprego de fibra óptica em transmissão de sinais radar para avaliação operacional da aeronave.

A realização dos testes em colaboração com o ITA e o IPEV incrementou a interoperabilidade entre as Forças e sua continuidade permitirá uma economia expressiva de recursos para a Marinha.



Postar um comentário

Postagens mais visitadas