Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Exército Sírio é atacado a partir de área ocupada por EUA e FDS

Tropas do Exército Árabe Sírio que participam de uma ofensiva contra terroristas em Deir ez-Zor foram alvo de ataques lançados a partir de uma área dominada por militantes das Forças Democráticas da Síria (FDS) e unidades especiais das Forças Armadas americanas, conforme revelou o Ministério da Defesa da Rússia nesta terça-feira.
Sputnik

"No último dia, grupos de assalto das tropas governamentais sírias, com apoio da Força Aeroespacial russa, cruzaram o Eufrates e continuaram a expandir a cabeça de ponte capturada a leste de Deir ez-Zor, apesar da dura resistência dos militantes do Daesh", afirmou o porta-voz da Defesa russa, major-general Igor Konashenkov, destacando o avanço das forças de Damasco. 


Segundo o militar, as tropas leais ao presidente Bashar Assad conseguiram liberar uma área de 60 quilômetros quadrados na zona oriental, mas encontraram obstáculos.

"De acordo com relatos de comandantes sírios na linha de frente, o Exército Sírio sofre contra-ataques mais seve…

Lavrov pede a Steinmeier para garantir controle da trégua em Donbass

O chanceler da Rússia, Sergei Lavrov, pediu ao atual presidente da OSCE, o ministro alemão das Relações Exteriores, Frank-Walter Steinmeier, que ajude a garantir o regime de trégua no leste da Ucrânia, na complicada região de Donbass.


Sputnik


"Em conversa telefônica realizada nesta terça-feira, Lavrov pediu a Steinmeier que use a ajuda da Missão Especial de Obervação da OSCE para garantir o controle do cessar-fogo unilateral por parte das repúblicas de Donetsk e Lugansk", informou a diplomacia russa em nota oficial. 


Tanques ucranianos na região de Donbass
Tanques ucranianos na região de Donbass © AP Photo/ Irina Gorbaseva

Mais cedo, observadores da OSCE anunciaram ter encontrado um sistema antiaéreo de mísseis e canhões ucraniano na linha de contanto entre as forças em conflito na região de Donetsk, o que consiste numa clara violação das regras de remoção de armamentos estabelecidas nos acordos de Minsk. 


Também nesta terça-feira, em reunião com chanceleres dos países bálticos, Steinmeier defendeu uma cooperação entre a OTAN e a Rússia para o controle da proliferação de armas, num contexto de aumento das atividades militares na Europa desde a eclosão da atual crise na Ucrânia.


Postar um comentário