Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

'Sangue e caos': príncipe saudita chama Trump de 'oportunista' por decisão sobre Jerusalém

O ex-chefe da inteligência saudita, o Príncipe Turki al-Faisal, criticou o reconhecimento do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de Jerusalém como a capital de Israel, em uma das mais acentuadas reações do reino aliado de Washington no Oriente Médio.
Sputnik

Em uma carta a Trump publicada em um jornal saudita nesta segunda-feira, o príncipe Turki, um ex-embaixador em Washington que agora não ocupa nenhum cargo do governo, mas continua influente, chamou a decisão de uma estratagema política doméstica que provocaria violência.


"O derramamento de sangue e o caos definitivamente seguirão sua tentativa oportunista de ganhar eleitoralmente", escreveu o príncipe Turki em uma carta publicada no jornal saudita al-Jazeera.

Trump inverteu décadas de política dos EUA e virou do consenso da crítica internacional na semana passada, reconhecendo Jerusalém como a capital de Israel. A maioria dos países diz que o status da cidade deve ser deixado para negociações entre Israel e os pales…

ONU restabelece envio de missões humanitárias à Síria

A ONU decidiu retomar os preparativos para o envio de produtos e alimentos à Síria, dias após um ataque aéreo contra um de seus comboios ter provocado a interrupção de suas missões humanitárias ao país árabe. 


Sputnik

"O deslocamento de comboios conjuntos para diversas regiões sitiadas e de difícil acesso foi temporariamente interrompido após o ataque ao comboio em Urm al-Kubra, na segunda-feira. Os preparativos desses comboios foram retomados e nós estamos prontos para fornecer ajuda a regiões sitiadas e de difícil acesso assim que possível" – declarou o porta-voz do escritório da ONU para assuntos humanitários Jens Laerke. 


Veículo de ajuda humanitária da ONU
Veículo de ajuda humanitária da ONU © AFP 2016/ Abd Doumany


Ele destacou ainda que as operações humanitárias da ONU não chegaram a ser interrompidas em todo o território da Síria, tendo sido realizadas entregas aéreas de lotes com produtos e alimentos à cidade de Deir ez-Zor, bem como operações transfronteiriças.

"A ONU reitera seu apelo para o acesso seguro, desimpedido e contínuo a todos os sírios que precisam de ajuda, onde quer que eles estejam" – acrescentou Laerke.

No início desta semana, um comboio humanitário conjunto da Cruz Vermelha Síria e de organizações humanitárias da ONU foi parcialmente destruído na região síria de Aleppo. Dos 31 caminhões, que levavam ajuda para 78 mil pessoas, pelo menos 18 caminhões foram atingidos. O ataque provocou a morte de um agente da missão humanitária e de pelo menos 20 civis.



Postar um comentário