Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Ministério das Relações Exteriores russo acusa EUA de ajudar terroristas na Síria

Ao reforçar seu interesse em liquidar o Daesh [organização terrorista proibida na Rússia] da face da Terra, Moscou se mostrou preocupada com o fato de os EUA demonstrarem o contrário através de suas ações, ressalta Sergei Ryabkov, vice-ministro do ministério.
Sputnik

"Apesar de tudo, alguns objetivos políticos e geopolíticos são mais importantes para Washington, o que está declarado no plano de lealdade à luta antiterrorista", disse Ryabkov a jornalistas. Segundo ele, a Rússia espera que Washington prove na prática a sua lealdade à luta contra o terrorismo na Síria.


Além disso, o diplomata chamou a morte do tenente-general Valery Asapov de preço pago pela Rússia pela hipocrisia dos EUA na questão da resolução da crise síria. Asapov, que chefiava o grupo dos conselheiros militares russos, morreu na região de Deir ez-Zor durante bombardeio do Daesh.

Na véspera, o Ministério da Defesa da Rússia publicou fotos aéreas dos bairros a norte de Deir ez-Zor controlados pelos terroristas d…

OSCE: não há tropas russas em Donbass

Não há militares russos na zona de operações militares em Donbass, afirmou o secretário-geral da Organização para Segurança e Cooperação na Europa (OSCE), Lamberto Zannier, perante jornalistas em Kiev. 


Sputnik

"Continuamos dizendo que é um conflito híbrido e o conflito híbrido prevê a presença de militares híbridos. Quando me perguntam se há ali unidades de militares russos, tendo em conta os dados dos nossos observadores, posso dizer que não há tais unidades", disse Zannier.


Monitores da OSCE em Donetsk, no leste da Ucrânia
Monitores da OSCE em Donetsk © AFP 2016/ JOHN MACDOUGAL


Ele destacou também que em Donbass há militares de outras regiões, sem esclarecer de quais em particular. O secretário-geral da OSCE disse que para o Donbass é enviado equipamento militar e combustível estrangeiro.

Em abril de 2014, Kiev lançou uma operação militar nas províncias de Donetsk e Lugansk para reprimir os focos de contestação ao golpe de Estado ocorrido na Ucrânia em fevereiro daquele ano. 


Atualmente o território de Donbass, que inclui as autoproclamadas repúblicas de Donetsk e Lugansk, vive em regime de cessar-fogo, mas as partes do conflito armado declaram que há violações constantes da trégua.

Postar um comentário