Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Turquia adverte exército sírio contra entrada em Manbij

O comunicado foi divulgado poucos dias depois de pelo menos quatro soldados americanos terem sido mortos em um atentado suicida na cidade de Manbij, no norte da Síria, cuja responsabilidade foi assumida pelo Daesh (grupo terrorista proibido em Rússia e em vários outros países).
Sputnik

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores turco, Hami Aksoy, alertou as Forças Armadas do governo sírio para que não tentassem entrar na cidade de Manbij, localizada no norte da Síria.


"Às Unidades de Proteção Popular curdas na Síria (YPG) não deveria ser permitido deixar que as forças do regime [do presidente sírio Bashar Assad] entrem em Manbij", disse Aksoy em uma entrevista coletiva na sexta-feira (18). Ele também destacou que "a retirada das tropas norte-americanas da Síria não deveria ajudar os terroristas das YPG e do Partido de União Democrática curdo (PYD)".

As declarações foram feitas depois que nesta quarta-feira (16) na cidade síria de Manbij ocorreu uma explosão em u…

Político japonês acusa EUA de pressionarem autoridades da Crimeia

Os EUA e uma série dos países europeus se recusaram a reconhecer as eleições deste domingo (18) na Crimeia, o que mostra o fato da pressão política, declarou o político japonês Mitsuhiro Kimura, presidente do movimento patriótico japonês Issuikai. 


Sputnik

"Achamos que a a recusa dos EUA de reconhecerem os resultados das eleições legislativas na Crimeia é uma forma de exercer pressão política", declarou Mitsuhiro Kimura.


A procuradora-geral da Crimeia Natalia Poklonskaya vota nas eleições legislativas, 2016
Eleições na Crimeia © Sputnik/ Maksim Vetrov


Anteriormente, o presidente da Ucrânia Pyotr Poroshenko havia exortado os países do G7 e da União Europeia a não reconhecerem a legitimidade das eleições legislativas na Rússia realizadas na Crimeia e em Sevastopol.


Após isso, os EUA e uma série dos países europeus se recusaram a reconhecer as eleições deste domingo na Crimeia.

"O fato de os EUA, na pessoa do Departamento do Estado, terem anunciado, ainda antes de os resultados serem públicos, que não reconheceriam as eleições fosse qual fosse o resultado é, segundo a minha opinião, inaceitável e muito suspeito. Se trata de pressão política aberta sobre os participantes do processo eleitoral e isso é de fato incorreto", disse Kimura aos jornalistas, após ter visitado várias circunscrições eleitorais na Crimeia no dia das eleições. O político japonês lamenta que os países ocidentais continuem a ignorar a vontade dos habitantes locais da Crimeia. 


Na Crimeia, onde as eleições legislativas russas foram realizadas pela primeira vez, foram formados três círculos uninominais, e mais um círculo em Sevastopol. Na península, cerca de 1,8 milhões de habitantes têm direito de voto.



Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas