Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Kim Jong-un: Após 'declaração de guerra feroz', Trump e os EUA pagarão caro

Em um raro pronunciamento, o líder norte-coreano Kim Jong-un disse nesta sexta-feira (horário local) que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e seu povo "pagarão caro"pelas “palavras excêntricas” que pregaram a destruição da Coreia do Norte.
Sputnik

Em seu discurso na Assembleia Geral da ONU, Trump afirmou que os EUA estão prontos para a "destruição total" da Coreia do Norte, caso isso se faça necessário.


Além disso, o presidente estadunidense chamou Kim de "Homem Foguete", pelo que considera uma "tática suicida" de provocações contra Washington e o resto dos seus aliados na Ásia.

"Agora estou pensando muito sobre a resposta que ele poderia ter esperado quando ele se permitiu que palavras tão excêntricas tropeçassem da sua língua", disse Kim, em declarações reproduzidas pela Agência Central de Notícias da Coreia (KCNA).

"Qualquer coisa que Trump possa ter esperado, ele enfrentará resultados além de suas expectativas. Eu vou, …

Poroshenko anuncia novas sanções antirussas relacionadas com Crimeia

O presidente da Ucrânia, Pyotr Poroshenko, anunciou durante uma reunião do Conselho de Segurança Nacional e Defesa a decisão de estender as sanções contra entidades e indivíduos russos por conta da anexação da Crimeia.


Sputnik


As novas restrições, de acordo com o presidente, serão aplicadas contra empresas do setor de defesa e instituições financeiras na Rússia que prestam apoio às milícias de Donetsk e Lugansk, bem como a companhias marítimas e aéreas que cooperam com a Crimeia. 


Pyotr Poroshenko, presidente da Ucrânia, em reunião de gabinete em Kiev
Piotr Poroshenko © REUTERS/ Andrew Kravchenko

"Trata-se de empresas operadoras, navios e aeronaves, que ao visitar a Crimeia apesar da severa proibição ucraniana, cometem uma grave violação das leis ucranianas", disse Poroshenko em comunicado divulgado no site da presidência. 


O presidente também propôs a imposição de sanções para as pessoas que se candidataram na Crimeia para as eleições parlamentares russas em 18 de setembro. Para estes, a vitória nas eleições seria equivalente, segundo ele, à entrada para o "clube dos sancionados". 

A Crimeia foi reintegrada à Rússia em março de 2014 após um referendo em que uma maioria de 96% da população da península votou para fazer parte da Federação Russa.

Postar um comentário