Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Especialista: exército sírio deteve 300 militares franceses de diversas patentes

O presidente Vladimir Putin, em conversa com o presidente sírio Bashar Assad, em Sochi, declarou que, devido ao sucesso da luta antiterrorista das forças sírias e ao início do processo político, as tropas estrangeiras deveriam se retirar do território da Síria.
Sputnik

"A declaração de Vladimir Putin durante seu encontro com Bashar Assad, sobre a necessidade da retirada dos contingentes estrangeiros da Síria, arruína os sonhos dos agressores, que contam com a tentativa de realizar seus objetivos na região através de mercenários criminosos", disse à Sputnik Árabe Akram al Shalli, analista da Gestão Síria de Crise e Guerras Preventivas.

"Nas mãos do exército sírio há oficiais dos serviços de inteligência dos EUA, Grã-Bretanha, países árabes e Israel. Por exemplo, só o número de militares franceses de diversos escalões é de 300 pessoas. Notamos tentativas de exercer pressão sobre o governo sírio, inclusive para libertar os militares estrangeiros presos. Mas esses sonhos não p…

Rebeldes sírios se juntam à Frente al-Nusra para ofensiva

De acordo com o Estado-Maior general da Rússia, os rebeldes sírios se juntaram à Frente al-Nusra para ofensiva. 


Sputnik

A declaração foi feita nesta segunda-feira (19), um dia e meio depois do ataque da coalizão liderada pelos EUA contra o exército sírio, quando este estava combatendo o grupo terrorista Daesh. Como resultado do ataque, as forças terroristas tiveram acesso a uma posição estratégica. 


Um bairro de Damasco ocupado pela Frente al-Nusra
Damasco, capital da Síria © Sputnik/ Ilya Pitalev


Se aquele caso já indicava que a parte americana podia estar deixando de cumprir as condições da trégua acordada com a Rússia, o caso de hoje já significa que as únicas partes que cumprem o cessar-fogo são as forças da Rússia e da Síria, disse o tenente-general Vladimir Savchenko. 

Ele precisou que nem os Estados Unidos, nem os rebeldes "moderados" por eles controlados não cumpriram "uma só obrigação correspondente ao acordo russo-americano".

Citando informações do Centro de Reconciliação russo, ele disse que a oposição militarizada "usou o cessar-fogo para se reagrupar, conseguir mais munições e se preparar para uma ofensiva com o objetivo de capturar mais territórios quando as tropas sírias tenham abandonado as operações militares".

Savchenko precisou que nem a aviação russa, nem a síria realizaram ataque aéreos na semana passada.



Postar um comentário