Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Radicais sírios estariam recebendo armamento dos EUA através da fronteira com Jordânia

Enquanto o exército sírio parece estar pronto para uma grande ofensiva na província de Daraa, os grupos radicais que operam na região estariam recebendo grandes remessas de material bélico "Made in USA".
Sputnik

Os grupos militantes que atuam no sul da Síria receberam uma grande quantidade de armas e munições fabricadas nos EUA, incluindo mísseis antitanque TOW, informou a agência de notícias FARS.

De acordo com a FARS, o armamento foi entregue através da fronteira com a Jordânia no âmbito de um novo plano dos EUA para assegurar mais apoio a estes grupos na Síria.

A agência informou também que os grupos militantes na província de Daraa começaram a se preparar para impedir a ofensiva do exército sírio.

No início deste mês, o exército sírio intensificou as ações no sudoeste do país, controlado por radicais, perto da fronteira com a Jordânia e as Colinas de Golã, ocupadas por Israel.

O Ministério da Defesa da Rússia acrescentou que as forças do governo sírio, apoiadas por um grande a…

Rússia se diz disposta a dialogar sobre novo tratado de armas convencionais na Europa

A Rússia está aberta para o diálogo sobre um novo acordo de controle de armas na Europa, mas não iniciará tal diálogo por conta própria, segundo declarou o Ministério das Relações Exteriores russo em um comunicado nesta segunda-feira (5).


Sputnik

Em agosto, o ministro das Relações Exteriores da Alemanha, Frank-Walter Steinmeier, escreveu em um artigo para o jornal Frankfurter Allgemeine Zeitung que um novo tratado sobre forças armadas convencionais na Europa ajudaria a evitar uma corrida armamentista entre a Rússia e a OTAN, além de contribuir para a "transparência, prevenção de risco e consolidação da confiança". Ele disse ainda que Moscou havia repetidamente proposto novas discussões sobre a questão.


Ministério das Relações Exteriores da Rússia
Ministério das Relações Exteriores da Rússia © Sputnik/ Natalia Seliverstova

"O lado russo não está demandando isso, ao contrário do que foi dito no artigo", afirma a declaração da chancelaria russa publicada em resposta ao texto de Steinmeier.

Ainda de acordo com o comunicado, a Rússia está aberta à discussão sobre estabilidade e segurança internacionais desde que sejam respeitados os termos de igualdade e respeito mútuo de interesses.

Em 19 de novembro de 1990, os membros da OTAN, bem como os Estados-membros do extinto Pacto de Varsóvia, assinaram o Tratado sobre Forças Armadas Convencionais na Europa (CFE), que limitava o número de equipamentos militares convencionais no continente para os dois blocos, bem como concebia mecanismos para monitorar sua implementação. 


Em março de 2015, a Rússia decidiu suspender completamente a sua participação no CFE, devido, sobretudo, às tentativas da OTAN de contornar as disposições do tratado através da expansão militar da aliança para o leste. 


Postar um comentário

Postagens mais visitadas