Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

Síria será palco de testes para mísseis russos

Defesa poderá empregar porta-aviões Admiral Kuznetsov e testar novos mísseis X-38 e sistemas SVP-24 para munições não guiadas.


Nikolai Litôvkin | Gazeta Russa

Em novembro de 2016, o principal componente da frota russa, o porta-aviões Almirante Kuznetsov viajará ao litoral sírio no Mediterrâneo com aviões Su-33 e MiG-29K / KUB e helicópteros Ka-52K Katran a bordo.

Segundo uma fonte da Gazeta Russa no complexo militar que não quis ser identificada, os aviões e helicópteros testarão os novos mísseis X-38 em condições de combate. 


Fonte afirma que novos X-38 entrarão em ação no combate ainda neste ano. / Allocer/wikipedia.org (CC BY-SA)
Fonte afirma que novos X-38 entrarão em ação no combate ainda neste ano. / Allocer/wikipedia.org (CC BY-SA)

"Reforçamos nosso grupo de aviação na região e fornecemos novos meios de destruição. Os caças MiG-29K vão usar os novos mísseis X-38 para eliminar terroristas", diz a fonte.

De acordo com ela, o Ministério da Defesa Russo enviará ao Mediterrâneo sírio cerca de 15 aviões Su-33 e MiG-29K / KUB e dez helicópteros Ka52K Katran.

Novos sistemas de ajuste de artilharia

Já os caças Su-33 receberiam os novos sistemas de mira de alta precisão SVP-24 para mísseis não guiados.

O sistema permite aumentar a precisão dos ataques aéreos, evitando atingir acidentalmente civis.

O sistema ajusta a trajetória de voo usando parâmetros de posição do caça.

Como resultado, o nível de desvio do alvo é inferior a dois metros.

MiG-29K / KUB e Su-33

Os MiG-29K localizados no porta-aviões Kuznetsov são os caças da geração 4 ++ mais modernos, de acordo com o editor-chefe da revista especializada Vzlyot, Andrêi Fomin.

"Apesar de sua semelhança com a versão terrestre do MiG-29, o MiG-29K é uma aeronave completamente diferente. Tem tecnologias furtivas modernas, um novo sistema de reabastecimento em voo e asas dobráveis que permitem realizar decolagens e pousos a velocidades baixas”, diz Fomin.

O MiG-29K é um avião de múltiplas funções, projetado para executar tarefas de defesa aérea das forças navais, bem como para destruir alvos de superfície e subterrâneos com armas de alta precisão, independentemente das condições meteorológicas.

Já o Su-33 é uma aeronave projetada para garantir a superioridade aérea, ou seja, com o objetivo de combate e interceptação.

Durante a campanha militar na Síria, os Su-33 com novos sistemas de ajuste de fogo utilizarão ainda bombas de gravidade.

Ka-52K Katran

Os helicópteros Katran foram desenvolvidos especialmente para os navios de assalto anfíbio tipo Mistral, que a Rússia encomendou da França em 2011.

Depois de cancelado o contrato pelos franceses devido à crise ucraniana, o Cairo, que adquiriu os porta-aviões, comprou também da Rússia 50 modelos de Katran.

Os helicópteros restantes passaram a equipar o porta-aviões Almirante Kuznetsov.

Os Ka-52 Katran são equipados com mísseis ar-ar R73 e Igla-B, além de mísseis não guiados ar-terra. 



Postar um comentário