Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Moscou revela fotos de material bélico dos EUA nas posições do Daesh

O Ministério da Defesa da Rússia publicou na sua conta no Facebook fotos aéreas de posições do Daesh (organização proibida na Rússia), perto da cidade de Deir ez-Zor, nas quais se vê material bélico dos EUA.
Sputnik

"Graças às fotografias aéreas captadas entre 8 e 12 de setembro de 2017, perto das posições do Daesh foi detectado um grande número de veículos blindados norte-americanos Hummer que estão em serviço das forças especiais dos EUA", informou o ministério.


Segundo o ministério, nas fotos é claramente visível o posicionamento das forças especiais dos EUA em pontos de apoio que anteriormente foram equipados pelos terroristas. Nas fotos não há nenhuns vestígios de ataques, bem como de confrontos com os terroristas ou crateras provocadas por ataques aéreos realizados pela coalizão internacional liderada pelos EUA.

"Embora os pontos de apoio dos destacamentos das Forças Armadas dos EUA estejam nas zonas das atuais posições do Daesh, não existem quaisquer vestígios de pre…

Trezentos civis são retirados de cidade rebelde na Síria

Medida faz parte de acordo entre Estado sírio e facções rebeldes.
Grupo tinha se refugiado para fugir dos combates entre exército e rebeldes.


France Presse

Mais de 300 habitantes originários de Daraya, perto de Damasco, começaram a ser retirados nesta sexta-feira (2) pelo exército sírio de uma localidade vizinha rebelde, onde se refugiaram para fugir dos combates.


Mais de 300 habitantes originários de Daraya, perto de Damasco, começaram a ser retirados nesta sexta-feira (2) pelo exército sírio de uma localidade vizinha rebelde (Foto: Louai Beshara/AFP)
Mais de 300 habitantes originários de Daraya, perto de Damasco, começaram a ser retirados nesta sexta-feira (2) pelo exército sírio de uma localidade vizinha rebelde (Foto: Louai Beshara/AFP)
A medida foi tomada "no âmbito do acordo entre o Estado sírio e facções rebeldes", segundo a televisão síria.

O acordo prevê a evacuação de milhares de rebeldes e civis de Daraya, uma das primeiras localidades a se rebelar contra o regime de Bashar al-Assad, e que foi submetida durante quatro anos a um impiedoso cerco, com incessantes bombardeios.

Daraya foi retomada totalmente no sábado passado pelo exército sírio.

Em sua maioria mulheres e crianças, as pessoas evacuadas caminharam até a saída de Muadamiyat al-Sham, onde viviam há três anos.

Ali eram esperadas por oito ônibus para ser transportadas a um centro de acolhida temporário na província de Damasco, segundo um fotógrafo da AFP.

Na quinta-feira, o enviado especial da ONU para a Síria, Staffan de Mistura, criticou a estratégia de evacuação forçada praticada pelo regime sírio em locais como Daraya.

"Compartilho seu medo em relação ao fato de que depois de Daraya nos arriscamos a ter outras Darayas", disse De Mistura aos jornalistas após o fim de uma reunião em Genebra do grupo de trabalho sobre a ajuda humanitária à Síria.

A evacuação de Daraya constitui o segundo acordo deste tipo entre o regime e os rebeldes depois do de Homs (centro), "capital da revolução", onde o regime utilizou a mesma tática de sitiá-la e bombardeá-la intensamente até que os rebeldes aceitaram abandonar seu reduto na cidade velha, em 2014.

Desde o início da revolta contra o regime de Damasco, em março de 2011, a guerra deixou mais de 290.000 mortos e obrigou milhares de pessoas a abandonar seus lares. A trégua é violada frequentemente desde abril e as negociações de paz encontram-se em ponto morto.


Postar um comentário