Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

Tropas federais serão mantidas no Rio após os Jogos Paralímpicos

Os agentes da Força Nacional de Segurança e as tropas do Exército permanecerão no Rio de Janeiro após os Jogos Paralímpicos para garantir a segurança nas eleições municipais de 2 de outubro, informou hoje o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Gilmar Mendes. 


Sputnik

Nas palavras do ministro, a necessidade da permanência das forças federais no estado após os Jogos, que terminam neste final de semana, se deve ao fato de o Rio enfrentar hoje "uma das mais graves situação do mundo".


Forças Armadas iniciam operação especial para os Jogos Olímpicos Rio 2016
Foto: Tomaz Silva/ Agência Brasil


De acordo com a Agência Brasil, embora a estratégia de distribuição dos efetivos do Exército e da Força Nacional ainda esteja em discussão, é certo que seus agentes estarão nas áreas de conflitos, principalmente naquelas em que ocorrem mais tiroteios.

O efetivo total a ser mobilizado e os principais locais de reforço de agentes deverão ser definidos nos próximos dias, durante uma reunião de representantes dos órgãos federais envolvidos no esquema de segurança no Rio. 


“É certo que algumas áreas requerem maior cuidado, como é o caso das áreas de concentração e distribuição das urnas eletrônicas e dos locais de votação, principalmente em áreas de maior risco. E nós, de uma maneira geral, estaremos nos próximos dias discutindo números de agentes e locais de reforço de distribuição” – destacou o ministro. 

A informação foi prestada por Gilmar Mendes após reunião na sede do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), da qual participaram também os ministros da Defesa, Raul Jungmann, e da Justiça, Alexandre de Moraes, o governador em exercício, Francisco Dornelles, e o presidente do TRE, Antônio Jayme Boente, além de representantes do Exército, da Marinha, da Secretaria de Segurança Pública e das polícias Militar, Civil, Federal e Rodoviária Federal.


Postar um comentário