Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Força Aérea israelense anuncia estreia global do caça F-35 em combate

Israel foi o primeiro país ao qual os Estados Unidos autorizaram a venda do caça invisível
Juan Carlos Sanz | El País
Jerusalém - A Força Aérea de Israel revelou nesta terça-feira que foi a primeira a utilizar em combate o F-35, o ultramoderno caça furtivo indetectável para os radares inimigos. O chefe da aeronáutica israelense, general Amikam Nirkin, fez o comunicado aos comandantes das forças aéreas de vários países reunidos ao norte de Tel Aviv.

O general Nirkin mostrou a seus colegas – procedentes dos EUA, Itália, França, Índia e Brasil, entre outros países – a imagem de vários F-35 sobre Beirute, enquanto confirmava que esses aviões tinham participado de ataques em duas frentes.

“O esquadrão do F-35 está em operação e já sobrevoa todo o Oriente Médio”, afirmou o chefe da força aérea.

Nirkin reiterou que, há duas semanas, a Guarda Revolucionária iraniana disparou 32 foguetes contra as Colinas de Golã, planalto sírio ocupado por Israel desde 1967 e que, em resposta à agressão, a aviação…

3º GAC Ap: exercício com novo material da Artilharia Brasileira

Forças Terrestres

Santa Maria (RS) – O 3º Grupo de Artilharia de Campanha Autopropulsado (3º GAC Ap) apoiou a Escola de Aperfeiçoamento de Sargentos das Armas (EASA) no exercício de condução de tiro de artilharia, realizado por alunos de todas as armas, no dia 5 de outubro. A atividade contou com a assistência de alunos do Grêmio de Artilharia do Colégio Militar de Santa Maria. 


artilharia-1
 

Nessa oportunidade, foi apresentado e empregado o equipamento recém-adquirido, o Atlas Gun Lying System, batizado pelos alunos do Curso de Artilharia da EASA como SP2 (Sistema de Posicionamento e Pontaria). O equipamento, dentre outras capacidades, permite autolocalização, por meio de GPS ou intersecção; localização precisa do norte, usando corpo celeste, bússola eletrônica incorporada, alvo ou ponto já conhecido; busca de alvos precisa, por intermédio de aferição de distância, azimute e elevação; armazenamento e gestão de alvos para direção de tiro e inteligência; realização de trabalhos topográficos; e a pontaria da linha de fogo. O sistema é composto por tripé, goniômetro, telêmetro laser, módulo de localização do norte astronômico e módulo de identificação estelar.

O SP2 foi utilizado pela primeira vez pelo 3º GAC Ap para a condução do tiro de artilharia, possibilitando maior precisão e velocidade nos trabalhos, inserindo a tradicional organização militar no contexto da guerra moderna, em condições de fazer frente a operações de amplo espectro, que exigem cada vez mais das capacidades operativas da Artilharia de Campanha.


Postar um comentário