Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

Alemanha vai enviar tanques para fronteira russa

Forças Terrestres

A Alemanha confirmou que está enviando tanques Leopard 2 para a Lituânia como parte dos planos da OTAN para reforçar os estados bálticos. Mas a presença é em grande parte simbólica, já que a Rússia ainda é militarmente superior na região. 


Leopard 2
Depois de décadas de declínio, a Alemanha está ampliando suas forças armadas, e está aumentando sua força de tanques de 225 a 328 tanques Leopard 2, alguns dos quais serão deslocados para a Lituânia para demonstrar a solidariedade da Aliança

Proteger a Lituânia da Rússia vai ser responsabilidade da Alemanha, de acordo com os novos planos de defesa da OTAN que surgiram na cimeira desta semana em Bruxelas. O Ministério da Defesa alemão mostrou na quarta-feira à noite o quão a sério está levando essa tarefa, confirmando à agência de notícias DPA que no próximo ano estará enviando tanques Leopard 2 para a fronteira russa do país Báltico, para além dos 650 soldados que já tinha prometido – embora não esclareceu quantos.

A medida faz parte do plano mais amplo da OTAN para proteger seus membros bálticos, que têm demonstrado preocupação sobre as ambições russas após a anexação da Criméia em 2014 e a subsequente guerra no leste da Ucrânia.

Um batalhão da OTAN de cerca de 1.000 soldados será estacionado na Lituânia a partir de junho do próximo ano, e depois será substituído a cada seis meses. Cerca de 450 a 650 destes soldados serão fornecido pelo Bundeswehr, enquanto os outros virão da França, Bélgica e Croácia. A mídia alemã informou que a unidade treinada em combate também será equipado com tanques, veículos blindados, atiradores e engenheiros.


Postar um comentário