Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

Aleppo: Mogherini reclama de pausa humanitária russa

A Alta Representante da UE para Política Externa e Segurança, Federica Mogherini, elogiou a proposta russa de uma pausa humanitária para Aleppo, descrevendo a medida como um "passo positivo", mas se queixou do fato de a mesma só ter duração de oito horas.


Sputnik


Mais cedo, o chefe de Operações do Estado-Maior das Forças Armadas da Rússia, tenente-general Sergei Rudskoi, disse que uma pausa nos enfrentamentos em Aleppo, com duração de oito horas, foi marcada para a próxima quinta-feira, 20, para permitir o acesso livre dos civis, a retirada dos feridos e dos combatentes rebeldes. Segundo Mogherini, a iniciativa é boa, mas é preciso ver se será efetiva. 


Federica Mogherini, Alta Representante da UE para Política Externa e Segurança
Federica Mogherini © AFP 2016/ JOHN THYS

"Pode ser um começo. Há discussões acontecendo sobre se as oito horas seriam suficientes para os comboios entregarem ajuda ao leste de Aleppo ou não. Com certeza, é um passo positivo. Mas, segundo a última avaliação que recebemos das agências da ONU, são necessárias 12 horas (para a entrega de ajuda humanitária). Então, acredito que haverá um pouco de trabalho para encontrar um terreno comum", declarou a chefe da diplomacia europeia em coletiva de imprensa.



Postar um comentário