Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Turquia quer ajudar Iraque a combater curdos em Kirkuk

A Turquia informou nesta segunda-feira que estava pronta para ajudar o governo iraquiano a expulsar os combatentes curdos da cidade de Kirkuk, informou AFP.
Sputnik

Ancara teme que a eventual independência do Curdistão iraquiano pode desencadear movimentos semelhantes entre a população curda na Turquia e saudou a operação das forças iraquianas para expulsar as forças do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) de Kirkuk.


"Estamos prontos para qualquer forma de cooperação com o governo iraquiano de modo a acabar com a presença do PKK no território do Iraque", disse o ministro das Relações Exteriores da Turquia, Mevlut Cavusoglu.

O Conselho de Segurança Nacional do Iraque afirmou neste domingo que considerará a presença de militares curdos em Kirkuk como um "declaração de guerra".

Na segunda-feira, as forças iraquianas tomaram amplos territórios nos arredores da cidade, bem como uma base militar, um aeroporto e um campo petrolífero.

Em 2014, as tropas peshmerga curdas …

Arábia Saudita diz ter detido suspeitos do EI que planejavam ataques

Presos teriam planejado assassinatos e ataque com carro-bomba.
Entre os suspeitos estão dois paquistaneses, um sírio e um sudanês.


Reuters


A Arábia Saudita prendeu ao menos oito suspeitos de serem militantes do Estado Islâmico que planejavam assassinatos e um ataque com carro-bomba, afirmou o Ministério do Interior no domingo (30), e as autoridades ainda estão atrás de outros suspeitos de envolvimento.


Resultado de imagem para arabia saudita

Uma nota do ministério disse que entre os detidos estão entre suspeitos do Estado Islâmico que tinham planejado assassinatos de oficiais de segurança no distrito de Shaqra, ao norte da capital Riad.

Outros militantes tinham planejado ataques contra civis na cidade de Qatif, no leste do país, e também elaboravam um plano de ataque com carro-bomba a uma equipe de futebol visitante dos Emirados Árabes Unidos em um estádio na cidade portuária de Jeddah, no oeste do país, segundo a nota.

O comunicado diz ainda que entre os suspeitos estão dois paquistaneses, um sírio, e um sudanês. Oito sauditas e um cidadão do Bahrein estão entre os suspeitos que ainda estão à solta.

As forças de segurança sauditas têm lidado com ataques esporádicos de militantes do grupo ultrarradical Estado Islâmico, baseado no Iraque e na Síria, e dizem já ter detido centenas de seus membros.

Afiliados locais ao Estado Islâmico já promoveram uma série de ataques com armas e bombas no reino saudita, o principal exportador de petróleo do mundo. Muitos dos ataques foram destinados a forças de segurança e a mesquitas xiitas.



Postar um comentário