Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Por que alguns países ocidentais não querem libertação de Idlib?

A libertação de Idlib marcará a vitória total das forças governamentais e o fracasso dos planos de países ocidentais de derrubar as autoridades legítimas sírias.
Sputnik

No entanto, segundo Pierre Le Corf, ativista francês que vive em Aleppo, a tarefa não será fácil. 


"Será muito difícil libertar Idlib, porque todas as forças da coalizão lideradas pelos EUA e governos [ocidentais] envolvidos na guerra até o momento se opõem à libertação da província", disse Le Corf à Sputnik França.

Ele comentou que assim que a província síria de Idlib for libertada, terá que "libertar as zonas ocupadas ilegalmente pelos EUA, França e até pela Itália no norte do país". Por esse motivo, nenhum desses países quer a libertação da província.

Le Corf salientou que a intenção de manter o status atual poderia levar a "um massacre da população civil de Idlib", referindo-se às múltiplas advertências dos militares sírios e russos sobre a possível encenação de ataques químicos com o prop…

Área da embaixada russa em Damasco bombardeada com morteiros

O bairro de Damasco onde está situada a embaixada russa foi alvo de bombardeio de morteiros, os funcionários da missão diplomática não sofreram danos, informa a chancelaria da Rússia. 


Sputnik

"Em 12 de outubro, a partir das 11h30 e durante quase duas horas, a área da embaixada da Rússia em Damasco foi atingida por ataques de morteiros. Os projéteis foram disparados do bairro de Jobar, controlado por extremistas. Uma das minas explodiu num posto da segurança externo da missão, outra perto da entrada do escritório consular, duas explodiram a cem metros da cerca de embaixada", se diz no comunicado publicado hoje (13) no site do Ministério do Exterior russo.


A vista para Damasco, Síria
Damasco, Síria

O departamento clarifica que uma das minas caiu no telhado de uma escola local situada perto da embaixada russa, mas não explodiu.

"Em resultado do bombardeio, o recinto da embaixada ficou coberto de estilhaços. Nenhum dos oficiais russos ficou ferido. Os danos materiais estão sendo esclarecidos", refere o comunicado da chancelaria russa. 


"Reprovamos fortemente mais um ataque terrorista contra a missão diplomáticas russa. Contamos com a sua avaliação pública por parte de todos aqueles que rejeitam o terrorismo e partilham verdadeiramente o princípio da inviolabilidade das missões diplomáticas. Afirmamos que a linha consequente da Rússia de luta intransigente contra os terroristas na Síria vai continuar", acrescenta o Ministério. 

Não é primeira vez que a embaixada russa na Síria se torna alvo de ataques terroristas. Um caso semelhante ocorreu em 3 de outubro, quando foram lançados três projéteis contra o edifício da missão diplomática, um dos quais explodiu perto dos apartamentos dos diplomatas.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas