Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

Argentina protesta contra exercícios militares britânicos nas Malvinas

Argentina manifestou repúdio contra a realização de exercícios militares britânicos nas Ilhas Malvinas, informou nesta sexta-feira o Ministério das Relações Exteriores do país latino-americano.


Sputnik


“O vice-chanceler Carlos Foradori entregou uma nota ao embaixador do Reino Unido (Mark Kent) em nosso país com um protesto formal e enérgico contra os exercícios militares citados, exigindo que (Grã-Bretanha) se abstenha destes, e prometeu informar o situação ao secretário-geral das Nações Unidas”, informou o Ministério das Relações Exteriores argentino em um comunicado. 


Pessoas perante o monumento às ilhas Malvinas, Tierra del Fuego, Argentina (foto de arquivo)
Monumento às Ilhas Malvinas na Terra do Fogo, Argentina © AFP 2016/ JUAN MABROMATA

O vice-chanceler lembrou que o Reino Unido realiza manobras militares nas Malvinas "por 20 anos e que ocorre o uso de mísseis desde 2010". 


O Ministério das Relações Exteriores disse na quinta-feira tomou conhecimento através do Serviço Hidrográfico Naval que o Reino Unido está planejando "exercícios militares ilegítimas na área das Ilhas Malvinas, em 19 e 28 de outubro de 2016, que incluirá o lançamento de mísseis ‘rapier'".

"A Argentina repudia a realização desses exercícios em território argentino, ilegalmente ocupado pelo Reino Unido", disse o diplomata.

As manobras "ignoram as resoluções das Nações Unidas e de outras organizações internacionais, instando os dois países a retomar as negociações para encontrar uma solução pacífica e definitiva para a disputa de soberania”, disse o representante de Buenos Aires. 


Deputados e políticos de todos os partidos apoiaram o protesto Argentina.


Postar um comentário