Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Análise: presidente ucraniano mata sua indústria ao introduzir novas sanções contra Rússia

O presidente da Ucrânia, Pyotr Poroshenko, assinou um decreto sobre as sanções contra a Rússia adotadas pelo Conselho de Defesa e Segurança Nacional da Ucrânia. O especialista Eduard Popov falou com a Sputnik e indicou qual o principal objetivo perseguido pelo governo ucraniano com tal iniciativa.
Sputnik

Em 2 de maio, o Conselho de Defesa e Segurança Nacional da Ucrânia ampliou as medidas restritivas em relação a diversas pessoas físicas e jurídicas russas, bem como prolongou a vigência das sanções introduzidas anteriormente.

Segundo informou a assessoria de imprensa da entidade, as sanções são aplicadas a pessoas "relacionadas com a agressão no ciberespaço e no campo informacional" contra a Ucrânia, "ações criminosas" contra os cidadãos ucranianos detidos na Rússia, bem como aos deputados da Duma de Estado e do Conselho da Federação da Rússia.

O diretor do Centro de Cooperação Pública e Informativa "Europa", Eduardo Popov, disse ao serviço russo da Rádio Sp…

Argentina protesta contra exercícios militares britânicos nas Malvinas

Argentina manifestou repúdio contra a realização de exercícios militares britânicos nas Ilhas Malvinas, informou nesta sexta-feira o Ministério das Relações Exteriores do país latino-americano.


Sputnik


“O vice-chanceler Carlos Foradori entregou uma nota ao embaixador do Reino Unido (Mark Kent) em nosso país com um protesto formal e enérgico contra os exercícios militares citados, exigindo que (Grã-Bretanha) se abstenha destes, e prometeu informar o situação ao secretário-geral das Nações Unidas”, informou o Ministério das Relações Exteriores argentino em um comunicado. 


Pessoas perante o monumento às ilhas Malvinas, Tierra del Fuego, Argentina (foto de arquivo)
Monumento às Ilhas Malvinas na Terra do Fogo, Argentina © AFP 2016/ JUAN MABROMATA

O vice-chanceler lembrou que o Reino Unido realiza manobras militares nas Malvinas "por 20 anos e que ocorre o uso de mísseis desde 2010". 


O Ministério das Relações Exteriores disse na quinta-feira tomou conhecimento através do Serviço Hidrográfico Naval que o Reino Unido está planejando "exercícios militares ilegítimas na área das Ilhas Malvinas, em 19 e 28 de outubro de 2016, que incluirá o lançamento de mísseis ‘rapier'".

"A Argentina repudia a realização desses exercícios em território argentino, ilegalmente ocupado pelo Reino Unido", disse o diplomata.

As manobras "ignoram as resoluções das Nações Unidas e de outras organizações internacionais, instando os dois países a retomar as negociações para encontrar uma solução pacífica e definitiva para a disputa de soberania”, disse o representante de Buenos Aires. 


Deputados e políticos de todos os partidos apoiaram o protesto Argentina.


Postar um comentário