Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Confira a arma secreta da China em uma eventual guerra contra os EUA

A evidência do emprego de minas marítimas na doutrina da guerra naval chinesa segue crescendo.
Sputnik

Nas fases finais da Guerra do Pacífico, os estrategistas americanos combinaram genialmente dois sistemas de armas, o revolucionário bombardeiro de longo alcance B-29 e as relativamente simples minas marítimas com explosivos magnéticos ou acústicos, causando um caos na economia e moral japoneses. O esforço para semear profusamente as águas japonesas com milhares de minas foi denominado de "Operação Fome" e esse esforço provou sua alta eficiência para pôr o Japão de joelhos. Contudo, a Marinha americana também foi vítima do emprego hábil da guerra de minas e esses casos são mais recentes.

O caso clássico provém da Guerra da Coreia, quando minas foram colocadas ao largo da Coreia do Norte, evitando que os estadunidenses realizassem uma invasão eficiente em Wonsan. Durante a Guerra do Golfo Pérsico, dois navios norte-americanos, o "Tripoli" e o "Princeton", for…

Assunto delicado: THAAD na região do Pacífico promete criar problemas

Especialistas sul-coreanos têm planos de apresentar um desafio constitucional relativamente à proposta de Seul e Washington para instalar no próximo ano sistemas da defesa antimíssil americanos THAAD na região sudeste do país. 


Sputnik

Na sexta-feira (30 de setembro), a Coreia do Sul anunciou sua intenção de instalar sistemas THAAD na província de Gyeongsang do Norte.


© AFP 2016/ Jung Yeon-Je


Mais cedo, em julho, Seul e Washington escolheram a base militar de Seongsan, na província de Seongju, para ser o lugar de instalação dos sistemas de DAM. Mas os cidadãos locais se mostraram fortemente contra essa decisão, argumentando sua posição com possíveis danos muito graves ao meio-ambiente e à saúde causados pela presença dos sistemas na área.

Entretanto, não só a nova localização recentemente anunciada custará ao governo 91 milhões de dólares para sua compra, como também causará protestos dos habitantes locais, que já têm demonstrado sua oposição à THAAD em Gyeongsang do Norte.

Além disso, os especialistas jurídicos sul-coreanos colocam ainda mais problemas para a decisão militar de Seul e Washington.

O advogado sul-coreano Kim Jin-hyung disse à Sputnik que ele e a organização em que trabalha (Minbyun) estão preparando um caso judicial que se baseia no fato de o THAAD representar uma ameaça para segurança nacional.


"A instalação de baterias THAAD, que se tornará um elo do sistema de defesa antimíssil americano, provocará uma resposta dura da China e da Rússia. Esse fato só aumentará a tensão e o risco de conflito militar no sudeste asiático e não contribuirá de forma nenhuma para a segurança da península coreana", sublinhou.

Contudo, o advogado está convencido de que todos os cidadãos têm o direito a um ambiente saudável e agradável.

Os Estados Unidos e a Coreia do Sul oficiais, porém, argumentam sua decisão com a necessidade de impedir o posterior desenvolvimento pela Coreia do Norte do seu programa nuclear. 


Mas os dois países não são os únicos que veem uma ameaça na Coreia do Norte — a China também considera os testes nucleares como inaceitáveis e impôs mesmo sanções contra Pyongyang, que estão a par com as resoluções do Conselho de Segurança da ONU. 

Simultaneamente, a China também não apoia a instalação dos sistemas THAAD, dizendo que isso é uma tentativa para aumentar a influência e presença militar dos EUA na Região do Pacífico.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas