Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Pyongyang: 3 porta-aviões perto da Coreia do Norte são uma ameaça de guerra nuclear

A ONU "fecha os olhos aos exercícios de guerra nuclear dos EUA, que estão empenhados em causar um desastre catastrófico para a humanidade", declarou o embaixador norte-coreano na ONU, Ja Song-nam.
Sputnik

As autoridades norte-coreanas classificaram na segunda (13) o deslocamento sem precedentes de 3 grupos de porta-aviões dos EUA para a zona da península da Coreia como uma "postura de ataque".


O representante norte-coreano permanente na ONU, Ja Song-nam, expressou em uma carta enviada ao secretário-geral da ONU o descontentamento do seu governo com os exercícios militares de Seul, Tóquio e Washington. Estes, segundo o diplomata, estão criando "a pior situação para a península da Coreia e seus arredores".

"Os EUA são os principais responsáveis por escalar as tensões e comprometer a paz", declarou Ja Song-nam.

Além da presença de 3 porta-aviões estadunidenses (Nimitz, Ronald Reagan e Theodore Roosevelt), Washington continua realizando voos de bombarde…

Chancelaria russa: contatos com EUA na área de desarmamento se tornam menos produtivos

Os contatos entre Moscou e Washington para questões de desarmamento este ano se tornaram menos produtivos, declarou o diretor do departamento russo de não proliferação e controle de armamentos Mikhail Ulyanov.


Sputnik


"Eles são bastante ativos, tanto os contatos bilaterais, quanto no âmbito do "quinteto nuclear". Embora eles tenham sido menos produtivos do que nos anos anteriores", disse Ulyanov aos jornalistas respondendo à pergunta sobre o nível de contatos de trabalho entre a Rússia e os EUA na área do desarmamento após a suspensão do acordo sobre reciclagem do plutônio com os EUA. 


C-400 Triumph mísseis defendam o espaço aéreo de Moscou e do região central da Rússia
C-400 Triumph © Sputnik/ Artem Zhitenev

Mikhail Ulyanov referiu que na reunião dos representantes dos países nucleares, em 6 de outubro em Nova York, foi discutida pela primeira vez a doutrina nuclear. 


"Tive a oportunidade de apresentar aos parceiros norte-americanos uma grande quantidade de perguntas pouco agradáveis, incluindo sobre missões nucleares conjuntas da OTAN, que violam o espírito e a letra do Acordo de não proliferação, e o conceito ilimitado de utilização de armas nucleares em quaisquer casos que afetem os interesses vitais dos Estados Unidos", disse ele.


Postar um comentário