Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

Coalizão Árabe admite que atacou cerimônia fúnebre no Iêmen 'por engano'

A Coalizão Árabe chefiada pela Arábia Saudita, que lidera a luta contra os rebeldes no Iêmen, anunciou os resultados da investigação do ataque aéreo contra uma cerimônia fúnebre em Sanaa e afirma que ele foi resultado do engano, informa o canal de televisão Al Arabiya. 


Sputnik

"A equipe [de investigadores] chegou à conclusão que representantes do Estado-Maior da Força Aérea iemenita forneceram informação, que mais tarde se revelou errada, sobre a posição exata de comandantes houthis armados", diz o comunicado da coalizão. 
Consequências do ataque em Sanaa, Iêmen, 8 de outubro de 2016
Ataque em Sanaa © AFP 2016/ MOHAMMED HUWAIS

Foi destacado que, depois da entrega da informação, o ataque foi realizado imediatamente como contra um alvo militar. A decisão foi tomada pelo Estado-Maior do Iêmen sem a autorização do comando central da coalizão.

"O ataque contra a posição foi feito por engano… É necessário tomar medidas legais contra aqueles cujas ações resultaram no incidente e começar a trabalhar para a compensação das famílias das vítimas e dos feridos", disse a coalizão, citada pelo canal Al Arabiya.

De acordo com a ONU, em resultado do ataque em Sanaa realizado ontem (8) morreram 140 pessoas. Mais de 500 ficaram feridas. Segundo dados de outras fontes, o número de vítimas chega a 213 pessoas. Segundo outros dados, a coalizão liderada pela Arábia Saudita lançou cinco ataques aéreos contra a capital do Iêmen, Sanaa, após o ataque contra a cerimônia fúnebre. Anteriormente a coalizão árabe insistia não ter participado do ataque.
 


Postar um comentário