Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Análise: presidente ucraniano mata sua indústria ao introduzir novas sanções contra Rússia

O presidente da Ucrânia, Pyotr Poroshenko, assinou um decreto sobre as sanções contra a Rússia adotadas pelo Conselho de Defesa e Segurança Nacional da Ucrânia. O especialista Eduard Popov falou com a Sputnik e indicou qual o principal objetivo perseguido pelo governo ucraniano com tal iniciativa.
Sputnik

Em 2 de maio, o Conselho de Defesa e Segurança Nacional da Ucrânia ampliou as medidas restritivas em relação a diversas pessoas físicas e jurídicas russas, bem como prolongou a vigência das sanções introduzidas anteriormente.

Segundo informou a assessoria de imprensa da entidade, as sanções são aplicadas a pessoas "relacionadas com a agressão no ciberespaço e no campo informacional" contra a Ucrânia, "ações criminosas" contra os cidadãos ucranianos detidos na Rússia, bem como aos deputados da Duma de Estado e do Conselho da Federação da Rússia.

O diretor do Centro de Cooperação Pública e Informativa "Europa", Eduardo Popov, disse ao serviço russo da Rádio Sp…

Coalizão Árabe admite que atacou cerimônia fúnebre no Iêmen 'por engano'

A Coalizão Árabe chefiada pela Arábia Saudita, que lidera a luta contra os rebeldes no Iêmen, anunciou os resultados da investigação do ataque aéreo contra uma cerimônia fúnebre em Sanaa e afirma que ele foi resultado do engano, informa o canal de televisão Al Arabiya. 


Sputnik

"A equipe [de investigadores] chegou à conclusão que representantes do Estado-Maior da Força Aérea iemenita forneceram informação, que mais tarde se revelou errada, sobre a posição exata de comandantes houthis armados", diz o comunicado da coalizão. 
Consequências do ataque em Sanaa, Iêmen, 8 de outubro de 2016
Ataque em Sanaa © AFP 2016/ MOHAMMED HUWAIS

Foi destacado que, depois da entrega da informação, o ataque foi realizado imediatamente como contra um alvo militar. A decisão foi tomada pelo Estado-Maior do Iêmen sem a autorização do comando central da coalizão.

"O ataque contra a posição foi feito por engano… É necessário tomar medidas legais contra aqueles cujas ações resultaram no incidente e começar a trabalhar para a compensação das famílias das vítimas e dos feridos", disse a coalizão, citada pelo canal Al Arabiya.

De acordo com a ONU, em resultado do ataque em Sanaa realizado ontem (8) morreram 140 pessoas. Mais de 500 ficaram feridas. Segundo dados de outras fontes, o número de vítimas chega a 213 pessoas. Segundo outros dados, a coalizão liderada pela Arábia Saudita lançou cinco ataques aéreos contra a capital do Iêmen, Sanaa, após o ataque contra a cerimônia fúnebre. Anteriormente a coalizão árabe insistia não ter participado do ataque.
 


Postar um comentário