Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Israel concentra mais forças na fronteira com Faixa de Gaza e está pronto a agir

As Forças de Defesa de Israel (IDF, na sigla em inglês) concentraram mais forças na fronteira com a Faixa de Gaza e estão prontas para usá-las se for necessário, comunica a assessoria da entidade militar.
Sputnik

A decisão foi tomada no decurso da reunião no Estado-Maior e é uma resposta aos combates de ontem (11), que causaram morte de um militar israelense e sete palestinos.


"As IDF aumentaram suas forças no Distrito Sul e estão dispostas, se for preciso, a agir com mais vigor", destaca o comunicado da entidade.

No decurso da operação militar que teve lugar no enclave palestino neste domingo (11) um tenente coronel de uma unidade especial israelense foi morto. Ao mesmo tempo, a parte palestina perdeu sete homens, inclusive um comandante militar. Após os confrontos, os palestinos lançaram 17 mísseis contra o sul de Israel, dois deles foram interceptados pelos sistemas de defesa antiaérea Iron Dome (Cúpula de Ferro).

Foi igualmente informado que, tendo em conta a situação, o prim…

'Daesh entra em pânico quando nos vê'

Os combatentes que lutam contra o Daesh (proibido na Rússia) no âmbito da operação de libertação de Mossul incluem unidades de mulheres da milícia popular curda. O correspondente da Sputnik Turquia falou com algumas destas combatentes.


Sputnik


A comandante de um destacamento de mulheres, Berivan Salihber, disse em entrevista à Sputnik Turquia que as mulheres peshmerga estão decididas a combater o inimigo até o fim vitorioso, pela vida livre das mulheres e de toda a população da região. 


Combatente das unidades de mulheres peshmerga prepara-se para o combate contra o Daesh em Mossul, Iraque, outubro de 2016
Combatente peshmerga em Mossul, Iraque © Sputnik/ Hikmet Durgun

"Estamos combatendo o Daesh já por mais de dois anos. Centenas de mulheres lutam ao nosso lado. Entre elas há quem tenha morrido de forma heroica em combates contra os jihadistas. Vendo mulheres peshmerga, os militantes do Daesh ficam em pânico e tentam não entrar em confronto direto, porque a morte à mão de uma mulher é considerada humilhante e vergonhosa entre eles", disse Salihber.


Ao mesmo tempo, ela afirmou que, desde o início da operação em Mossul, as mulheres curdas estão combatendo na linha de frente e conseguiram expulsar terroristas de três vilas.

"Não há vida tranquila para as mulheres nos territórios capturados pelos jihadistas. Vivem, mas isso não pode ser chamado de verdadeira vida. Estamos lutando contra o Daesh por uma vida livre e democrática, pelo nosso país, nossos irmãos, nossas mulheres. Estamos prontas a travar esta luta até o fim vitorioso", sublinhou.


Combatentes de unidades de mulheres peshmerga antes do combate contra o Daesh em Mossul, Iraque, outubro de 2016
Combatentes de unidades de mulheres peshmerga antes do combate contra o Daesh em Mossul, Iraque, outubro de 2016 © Sputnik/ Hikmet Durgun

Por seu turno, Nican Solin Rojhılat, comandante de 27 anos, disse que veio da região curda no Irã para participar da luta contra o Daesh. Está combatendo nas frentes de Bashik e Narevan. Afirmou que, em resultado das ações das unidades de mulheres peshmerga, os terroristas perderam muitas forças e agora não são capazes de se defender como antes.

Ela sublinhou que as unidades peshmerga tencionam libertar as muitas mulheres yazidis que se encontram no cativeiro dos terroristas em Mossul e não abandonarão o campo de batalha até que o Daesh seja totalmente eliminado.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas