Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Exército Sírio é atacado a partir de área ocupada por EUA e FDS

Tropas do Exército Árabe Sírio que participam de uma ofensiva contra terroristas em Deir ez-Zor foram alvo de ataques lançados a partir de uma área dominada por militantes das Forças Democráticas da Síria (FDS) e unidades especiais das Forças Armadas americanas, conforme revelou o Ministério da Defesa da Rússia nesta terça-feira.
Sputnik

"No último dia, grupos de assalto das tropas governamentais sírias, com apoio da Força Aeroespacial russa, cruzaram o Eufrates e continuaram a expandir a cabeça de ponte capturada a leste de Deir ez-Zor, apesar da dura resistência dos militantes do Daesh", afirmou o porta-voz da Defesa russa, major-general Igor Konashenkov, destacando o avanço das forças de Damasco. 


Segundo o militar, as tropas leais ao presidente Bashar Assad conseguiram liberar uma área de 60 quilômetros quadrados na zona oriental, mas encontraram obstáculos.

"De acordo com relatos de comandantes sírios na linha de frente, o Exército Sírio sofre contra-ataques mais seve…

Das palavras às ações: EUA atacam Iêmen como retaliação

Os militares americanos atacaram um radar no Iêmen, o ataque foi uma resposta a bombardeios contra destróier dos EUA no mar Vermelho.


Sputnik


O destróier USS Mason da Marinha dos EUA se tornou nos últimos dias alvo de dois ataques de mísseis no Iêmen. 


Resultado de imagem para uss ponce
USS Ponce LPD-15

O primeiro ataque ocorreu na segunda-feira (10): foram lançados dois mísseis contra navio, que não atingiram o alvo e caíram no mar. O Pentágono acusou os rebeles houthis da autoria do ataque, mas eles, por sua vez, negaram todas as acusações de Washington. 


Na quarta-feira, o USS Mason ficou sob a mira mais uma vez, tendo sido alvejado com outros dois mísseis. Desta vez outro navio ficou em perigo, o USS Ponce, que acompanhava o destróier na missão. 

Este último incidente ocorreu na parte norte do estreito de Bab-el-Mandeb. Logo depois disso, o Pentágono afirmou que está pronto para responder "na mesma moeda".

Washington fez estas declarações poucas horas após o bombardeio do USS Mason. O alvo do ataque de retaliação norte-americano foram três radares localizados no território controlado pelos houthis.

"De acordo com estimativas preliminares, os radares foram destruídos", disse Peter Cook, representante oficial da Secretaria da Defesa dos EUA. 


O representante do Pentágono afirmou que a ordem de ataque foi dada pessoalmente por Barack Obama, a conselho do secretário da Defesa do país, Ashton Carter, e do chefe do Estado-Maior Conjunto dos Estados Unidos, general Joseph Dunford.

Postar um comentário