Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Águas 'quentes' da Síria: fragata russa persegue submarino nuclear dos EUA

Durante sua última missão no mar Mediterrâneo em abril passado, a fragata Admiral Essen da Marinha russa conseguiu detectar e perseguir um submarino nuclear dos EUA perto da costa síria. Essa informação foi só agora tornada pública.
Sputnik

A fragata Admiral Essen, pertencente à Frota do Mar Negro, perseguiu o submarino estadunidense da classe Ohio durante mais de duas horas, comunica o jornal russo Izvestiya, citando o Estado-Maior da Marinha russa.

A tripulação do navio russo registrou os parâmetros principais do submarino para, em seguida, os adicionar ao retrato acústico do submersível.

A fragata havia partido para o mar Mediterrâneo em março e regressou à base de Sevastopol no fim de junho. Encontrava-se na zona costeira síria quando os EUA, o Reino Unido e a França atacaram a Síria com mísseis.

Além disso, no decurso da missão, a sua tripulação realizou uma série de manobras táticas. Em particular, treinou ataques contra alvos marítimos e aéreos, combate em grupo e isolado, bem como…

Das palavras às ações: EUA atacam Iêmen como retaliação

Os militares americanos atacaram um radar no Iêmen, o ataque foi uma resposta a bombardeios contra destróier dos EUA no mar Vermelho.


Sputnik


O destróier USS Mason da Marinha dos EUA se tornou nos últimos dias alvo de dois ataques de mísseis no Iêmen. 


Resultado de imagem para uss ponce
USS Ponce LPD-15

O primeiro ataque ocorreu na segunda-feira (10): foram lançados dois mísseis contra navio, que não atingiram o alvo e caíram no mar. O Pentágono acusou os rebeles houthis da autoria do ataque, mas eles, por sua vez, negaram todas as acusações de Washington. 


Na quarta-feira, o USS Mason ficou sob a mira mais uma vez, tendo sido alvejado com outros dois mísseis. Desta vez outro navio ficou em perigo, o USS Ponce, que acompanhava o destróier na missão. 

Este último incidente ocorreu na parte norte do estreito de Bab-el-Mandeb. Logo depois disso, o Pentágono afirmou que está pronto para responder "na mesma moeda".

Washington fez estas declarações poucas horas após o bombardeio do USS Mason. O alvo do ataque de retaliação norte-americano foram três radares localizados no território controlado pelos houthis.

"De acordo com estimativas preliminares, os radares foram destruídos", disse Peter Cook, representante oficial da Secretaria da Defesa dos EUA. 


O representante do Pentágono afirmou que a ordem de ataque foi dada pessoalmente por Barack Obama, a conselho do secretário da Defesa do país, Ashton Carter, e do chefe do Estado-Maior Conjunto dos Estados Unidos, general Joseph Dunford.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas