Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Águas 'quentes' da Síria: fragata russa persegue submarino nuclear dos EUA

Durante sua última missão no mar Mediterrâneo em abril passado, a fragata Admiral Essen da Marinha russa conseguiu detectar e perseguir um submarino nuclear dos EUA perto da costa síria. Essa informação foi só agora tornada pública.
Sputnik

A fragata Admiral Essen, pertencente à Frota do Mar Negro, perseguiu o submarino estadunidense da classe Ohio durante mais de duas horas, comunica o jornal russo Izvestiya, citando o Estado-Maior da Marinha russa.

A tripulação do navio russo registrou os parâmetros principais do submarino para, em seguida, os adicionar ao retrato acústico do submersível.

A fragata havia partido para o mar Mediterrâneo em março e regressou à base de Sevastopol no fim de junho. Encontrava-se na zona costeira síria quando os EUA, o Reino Unido e a França atacaram a Síria com mísseis.

Além disso, no decurso da missão, a sua tripulação realizou uma série de manobras táticas. Em particular, treinou ataques contra alvos marítimos e aéreos, combate em grupo e isolado, bem como…

Estado-Maior russo: Terroristas na Síria continuam recebendo armas dos EUA

Terroristas na Síria continuam recebendo armas modernas, inclusive os sistemas de mísseis antitanque TOW, de produção dos EUA. É o que afirma o Estado-Maior russo nesta segunda-feira.


Sputnik


Segundo o chefe de Operações do Estado-Maior, tenente-general Sergei Rudskoi, o Ocidente não deseja nem corrigir nem responder às agressões do combatentes na Síria que resultam em mortes de civis. 


Misil antitanque TOW
Sistema antitanque BGM-71 Tow © Foto: US Department of Defense

"Segundo informações de várias fontes, os combatentes continuam recebendo armas modernas, incluindo os sistemas antitanque TOW, de fabricação dos EUA", disse ele. 


"Em 13 de outubro, como resultado fogos de morteiros na região do curdistão iraquiano, foram mortos sete estudantes, e desde o começo de setembro morreram mais de 130 crianças", destacou Rudskoi. 

"Após os bombardeios de 14 de outubro por partes de militantes contra moradores da região central de Aleppo foram mortas sete pessoas e outras 14 ficaram feridas. Estes fatos continuam sem a atenção dos países ocidentais. Eles não querem nem corrigir, nem responder à violência dos combatentes", acrescentou. 

Rudskoi ainda destacou que os aviões de combate russos baseados na Síria estão constantemente realizando ataques aéreos contra rotas de reforço e comboios de armas de militantes na periferia de Aleppo.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas