Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

EUA negam fornecer ajuda aos rebeldes sírios para derrubar Assad

Os Estados Unidos não fornecem armas ou equipamentos militares às forças da oposição síria que lutam para derrubar o regime de Bashar Assad, segundo garantiu o Pentágono nesta segunda-feira.


Sputnik


"O Departamento de Defesa segue focado na luta contra o Daesh, e não presta qualquer apoio material à oposição que segue lutando contra o regime sírio", afirmou à RIA Novosti o major Adrian Rankine-Galloway, relações públicas da Defesa americana. De acordo com o militar, Washington monitora os grupos para os quais fornece ajuda com o objetivo de garantir que essas armas sejam utilizadas apenas contra os terroristas do Daesh. 

Resultado de imagem para tow
Rebelde sírio utilizando o míssil BGM-71 Tow, o mesmo que derrubou um helicóptero russo na Síria

Mais cedo, o chefe de Operações do Estado-Maior das Forças Armadas da Rússia, tenente-general Sergei Rudskoi, declarou que os extremistas da Síria que combatem as forças de Damasco continuavam recebendo equipamentos militares modernos de fabricação norte-americana, incluindo sistemas de mísseis TOW, utilizados para destruir veículos blindados.


Postar um comentário