Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Exército Sírio é atacado a partir de área ocupada por EUA e FDS

Tropas do Exército Árabe Sírio que participam de uma ofensiva contra terroristas em Deir ez-Zor foram alvo de ataques lançados a partir de uma área dominada por militantes das Forças Democráticas da Síria (FDS) e unidades especiais das Forças Armadas americanas, conforme revelou o Ministério da Defesa da Rússia nesta terça-feira.
Sputnik

"No último dia, grupos de assalto das tropas governamentais sírias, com apoio da Força Aeroespacial russa, cruzaram o Eufrates e continuaram a expandir a cabeça de ponte capturada a leste de Deir ez-Zor, apesar da dura resistência dos militantes do Daesh", afirmou o porta-voz da Defesa russa, major-general Igor Konashenkov, destacando o avanço das forças de Damasco. 


Segundo o militar, as tropas leais ao presidente Bashar Assad conseguiram liberar uma área de 60 quilômetros quadrados na zona oriental, mas encontraram obstáculos.

"De acordo com relatos de comandantes sírios na linha de frente, o Exército Sírio sofre contra-ataques mais seve…

General dos EUA detalha instalação das forças da OTAN na Polônia

Ben Hodges, general e comandante das forças norte-americanas na Europa, revelou que uma brigada de blindados pesados será instalada na Polônia em fevereiro do ano que vem e um batalhão da Força Aérea no segundo trimestre de 2017. 


Sputnik

Hodges foi entrevistado pela Radio Poland e falou sobre os planos de reforçar a presença das tropas da Aliança Militar na Europa Oriental. 


Soldados poloneses e norte-americanos durante exercícios conjuntos Anakonda 16 perto de Torun, Polônia, junho de 2016
Soldados poloneses e norte-americanos na Polônia © REUTERS/ Kacper Pempel


A estratégia prevê presença militar avançada reforçada (EFP, sigla em inglês) e os planos dos EUA de providenciar uma brigada de veículos blindados. 

Segundo ele, a brigada acima referida virá ao porto de Bremerhaven, na Alemanha, em meados de janeiro, deslocando depois a oeste da Polônia, sendo que em meados de fevereiro a brigada inteira já estará lá. Uma parte da brigada vai atuar na Romênia e Bulgária, e outra permanecerá na Polônia (considerada por ele como local ideal para "avançar para norte e avançar para sul").

Hodges informou que um batalhão da aviação será instalado na base aérea de Powidz, no centro-oeste da Polônia.

O comandante especificou que, em abril, o batalhão EFP acima mencionado iniciará sua missão liderada pela OTAN. 


Ao longo dos últimos anos, a Polônia tem apoiado a presença reforçada da OTAN na Europa Oriental. A chamada "ameaça russa" tem sido o foco da retórica hostil do país em relação à Rússia. Sob esse pretexto, o Ministério da Defesa polonês está disposto a gastar bilhões para se modernizar em termos militares. 

Ainda em abril deste ano, o ministro das Relações Exteriores polonês, Witold Waszczykowski, declarou que a Rússia é uma "ameaça existente" para a Polônia.

Em resposta, a Rússia reiterou várias vezes que essa ameaça é uma ilusão, sendo que Moscou não pretende invadir a Polônia. O analista político russo, Vadim Trukhachev, informou ao jornal online Svobodnaya Pressa que os políticos polacos "são russófobos e possuem imaginação deformada, fazendo com que eles encontrem ameaça russa por toda a parte".

Durante a cúpula da OTAN, em Varsóvia, o secretário-geral, Jens Stoltenberg, anunciou que a Aliança Militar pretende fortalecer o flanco oriental na Polônia e nos países bálticos com quatro batalhões adicionais em 2017. Em resposta, a Rússia anunciou a criação de três novas divisões, com 10 mil soldados cada, que serão deslocadas ao longo da fronteira oeste da Rússia.


Postar um comentário