Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Águas 'quentes' da Síria: fragata russa persegue submarino nuclear dos EUA

Durante sua última missão no mar Mediterrâneo em abril passado, a fragata Admiral Essen da Marinha russa conseguiu detectar e perseguir um submarino nuclear dos EUA perto da costa síria. Essa informação foi só agora tornada pública.
Sputnik

A fragata Admiral Essen, pertencente à Frota do Mar Negro, perseguiu o submarino estadunidense da classe Ohio durante mais de duas horas, comunica o jornal russo Izvestiya, citando o Estado-Maior da Marinha russa.

A tripulação do navio russo registrou os parâmetros principais do submarino para, em seguida, os adicionar ao retrato acústico do submersível.

A fragata havia partido para o mar Mediterrâneo em março e regressou à base de Sevastopol no fim de junho. Encontrava-se na zona costeira síria quando os EUA, o Reino Unido e a França atacaram a Síria com mísseis.

Além disso, no decurso da missão, a sua tripulação realizou uma série de manobras táticas. Em particular, treinou ataques contra alvos marítimos e aéreos, combate em grupo e isolado, bem como…

General dos EUA detalha instalação das forças da OTAN na Polônia

Ben Hodges, general e comandante das forças norte-americanas na Europa, revelou que uma brigada de blindados pesados será instalada na Polônia em fevereiro do ano que vem e um batalhão da Força Aérea no segundo trimestre de 2017. 


Sputnik

Hodges foi entrevistado pela Radio Poland e falou sobre os planos de reforçar a presença das tropas da Aliança Militar na Europa Oriental. 


Soldados poloneses e norte-americanos durante exercícios conjuntos Anakonda 16 perto de Torun, Polônia, junho de 2016
Soldados poloneses e norte-americanos na Polônia © REUTERS/ Kacper Pempel


A estratégia prevê presença militar avançada reforçada (EFP, sigla em inglês) e os planos dos EUA de providenciar uma brigada de veículos blindados. 

Segundo ele, a brigada acima referida virá ao porto de Bremerhaven, na Alemanha, em meados de janeiro, deslocando depois a oeste da Polônia, sendo que em meados de fevereiro a brigada inteira já estará lá. Uma parte da brigada vai atuar na Romênia e Bulgária, e outra permanecerá na Polônia (considerada por ele como local ideal para "avançar para norte e avançar para sul").

Hodges informou que um batalhão da aviação será instalado na base aérea de Powidz, no centro-oeste da Polônia.

O comandante especificou que, em abril, o batalhão EFP acima mencionado iniciará sua missão liderada pela OTAN. 


Ao longo dos últimos anos, a Polônia tem apoiado a presença reforçada da OTAN na Europa Oriental. A chamada "ameaça russa" tem sido o foco da retórica hostil do país em relação à Rússia. Sob esse pretexto, o Ministério da Defesa polonês está disposto a gastar bilhões para se modernizar em termos militares. 

Ainda em abril deste ano, o ministro das Relações Exteriores polonês, Witold Waszczykowski, declarou que a Rússia é uma "ameaça existente" para a Polônia.

Em resposta, a Rússia reiterou várias vezes que essa ameaça é uma ilusão, sendo que Moscou não pretende invadir a Polônia. O analista político russo, Vadim Trukhachev, informou ao jornal online Svobodnaya Pressa que os políticos polacos "são russófobos e possuem imaginação deformada, fazendo com que eles encontrem ameaça russa por toda a parte".

Durante a cúpula da OTAN, em Varsóvia, o secretário-geral, Jens Stoltenberg, anunciou que a Aliança Militar pretende fortalecer o flanco oriental na Polônia e nos países bálticos com quatro batalhões adicionais em 2017. Em resposta, a Rússia anunciou a criação de três novas divisões, com 10 mil soldados cada, que serão deslocadas ao longo da fronteira oeste da Rússia.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas