Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Diferentes e parecidos: em que aspectos F-16 e MiG-29 se desafiam

Famoso, leve, universal e ainda relevante: há 40 anos, em 15 de agosto de 1978, a Força Aérea dos EUA adotou em serviço um caça multifuncional de quarta geração – o F-16.
Sputnik

No total, até 2018, mais de 4.500 aeronaves desse tipo foram construídas. Por sua produção em massa o "falcão de ataque", como os pilotos batizaram respeitosamente a aeronave, é um recorde mundial absoluto entre os caças leves. E por suas capacidades de voo e combate o F-16 figura ao mesmo nível dos principais concorrentes – os caças soviéticos e russos MiG-29.

Nesta matéria, a Sputnik apresenta as semelhanças e diferenças entre esses projetos, implementados quase simultaneamente.

Pequeno e armado

Na década de 1970, antes da introdução do caça pesado F-15 Eagle, a Força Aérea dos EUA percebeu que necessitava de um aparelho mais barato, simples e tecnologicamente avançado – um caça tático leve para obter superioridade aérea local. Cinco empresas norte-americanas apresentaram seus projetos. O Pentágono con…

Itália lidera oposição a novas sanções contra a Rússia

O primeiro-ministro italiano Matteo Renzi liderou um grupo de países e conseguiu influenciar os líderes da Alemanha, França e Reino Unido a não adotarem novas sanções contra a Rússia devido à situação na Síria na cúpula da União Europeia (UE), informou o jornal The Financial Times citando fontes diplomáticas. 


Sputnik

Na noite de quinta para sexta-feira (21), os participantes da cúpula da UE aprovaram um documento final que não menciona sanções contra a Rússia por causa da Síria, embora os líderes europeus tivessem condenado as ações de Moscou e Damasco em Aleppo.


Primeiro-ministro italiano Matteo Renzi (foto de arquivo)
Matteo Renzi © AP Photo/ Geert Vanden Wijngaert

A fonte disse à The Financial Times que a discussão tornou-se "mais difícil" do que Berlim, Londres e Paris esperavam. Estes três países são os principais apoiantes de medidas duras. Segundo a fonte, os países que estavam contra a ideia foram a Espanha, Áustria, Chipre e Grécia, mas o líder do grupo foi o premiê italiano Matteo Renzi.

"Durante nove horas de negociações na cúpula da UE, o primeiro-ministro italiano alcançou êxito em retirar a proposta de novas sanções que fora introduzida antes do início da reunião", disse o jornal. 


Os EUA e outros países ocidentais acusam Moscou e Damasco de bombardear civis e posições da oposição armada, mas não apresentam quaisquer provas. A Síria e a Rússia insistem que realizam ataques somente contra terroristas e acusam Washington de incapacidade de influenciar as unidades da "oposição moderada" e demarcá-las dos radicais.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas