Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Argentina concorda em construir bases norte-americanas em seu território

O presidente da Argentina, Mauricio Macri, aprovou a construção no país de várias bases militares dos EUA, informou no sábado (21) o portal mexicano Aristegui Noticias com referência a fontes informadas.
Sputnik

De acordo com o portal, trata-se de ao mínimo três bases militares a serem construídas nas províncias de Neuquén (onde fica a jazida de gás de xisto Vaca Muerta), Misiones e Tierra del Fuego, de onde se pode controlar a Antártida.

A sua criação deve ser financiada pelo Comando Sul dos EUA. Um dos principais adeptos da criação de bases seria a ministra da Segurança da Argentina, Patricia Bullrich.

Além disso, nota o portal mexicano, a ministra elogiou a chegada ao país de instrutores americanos que efetuam a preparação dos policiais argentinos antes da cúpula do G20 em novembro. Isso viola as atuais leis argentinas, porque é necessário obter a autorização do Congresso para tais ações, algo que não foi feito.

'Justificativas belgas em relação ao ataque em Hassajek são ínfimas'

O comando central da Força Aérea dos EUA, responsável pela designação de alvos para aviões da coalizão na Síria, pode tentar escapar da responsabilidade pelo ataque contra Hassajek, disse o representante oficial do Ministério da Defesa da Rússia, o general Igor Konashenkov. 


Sputnik

"Tentativas do chefe do departamento militar do Reino da Bélgica em desviar a atenção do público da tragédia, usando justificativas notoriamente ínfimas para qualquer profissional, provocam profunda perplexidade", disse.


Caça F-16 da Força Aérea belga
F-16 Fighting Falcon da Força Aérea da Bélgica © AFP 2016/ PETRAS MALUKAS

Isso reforça o não entendimento pelo ministro da Defesa belga do documento apresentado pela Rússia ou a intenção do Comando central da Força Aérea dos EUA de se livrar da responsabilidade, acrescentou.

Na terça-feira (18), o povoado Hassajek, na província síria de Aleppo, sofreu um ataque aéreo, onde seis pessoas foram mortas, quatro ficaram feridas e duas casas foram destruídas. A defesa antiaérea russa na Síria detectou dois caças F-16 da Força Aérea belga durante o ataque. Aviões da Força Aeroespacial russa e da Força Aérea síria não foram detectados. 


O ministro da Defesa da Bélgica, Steven Vandeput, declarou que aviões belgas não realizaram ataques contra Hassajek e exigiu pedido de desculpas de Moscou. 

Como resposta, o Ministério da Defesa russo apresentou a Bruxelas os registros do espaço aéreo da Síria, que comprovam a realização de ataque por aviões belgas. Os documentos correspondentes foram entregues ao embaixador belga em Moscou.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas