Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Morte made in Brazil: conflitos no Oriente Médio alavancam exportação de armamento do país

Uma missão árabe chegou ao Brasil interessada na compra de cargueiros KC-390 fabricados pela Embraer. A visita é resultado do esforço do Grupo Parlamentar Brasil-Arábia Saudita, criado no início deste mês, para aproximar os dois países no campo de defesa militar.
Sputnik

O KC-390 vai substituir os Hércules C-130 da Força Aérea Brasileira (FAB), é o maior avião produzido na América e foi concebido como um jato militar de transporte, anunciado pela primeira vez na edição de 2007 da Latin America Aero & Defence (LAAD), no Rio de Janeiro. A produção do avião, com capacidade para 23 toneladas de carga, envolve parcerias com fornecedores de peças de Argentina, Portugal e República Tcheca. Com um custo unitário de US$ 85 milhões, o KC-390, em fase final de testes, tem recebido propostas de compra de vários países.



A compra do cargueiro, porém, é apenas um detalhe na exportação brasileira de armamentos não só para a Arábia Saudita, como também para vários países do Oriente Médio e do Norte d…

Lavrov: Ao contrário dos EUA, Rússia posiciona suas armas em seu próprio território

A Rússia age em seu próprio território ao implantar armas em Kaliningrado, ao contrário do que fazem os EUA, segundo afirmou nesta (12) o chanceler russo, Sergei Lavrov, em entrevista à CNN.


Sputnik


No início desta semana, a imprensa citou uma fonte da inteligência dos EUA dizendo que a Rússia estava implantando mísseis Iskander-M em Kaliningrado. O porta-voz do Ministério da Defesa russo, Igor Konashenkov, confirmou os relatos, dizendo que Moscou não fez segredo sobre o envio dos sistemas de mísseis para o exclave russo, já que o deslocamento de armamentos dentro do país é uma prática padrão do exército. 


Iskander-M (SS-26 Stone, segundo o código da OTAN), sistema móvel de mísseis balísticos da Rússia
Míssil balístico Iskander-M (SS-26 Stone) © Sputnik/ Aleksei Danichev

"No que diz respeito à instalação de armas no nosso território — este é nosso território", sublinhou Lavrov à CNN. 


O ministro destacou ainda que os Estados Unidos estavam aumentando o financiamento atribuído à implantação de militares perto das fronteiras da Rússia. 

“Agora, (…) os últimos caças dos EUA, creio que os F-35, seriam equipados com a versão moderna de bombas nucleares. E eles seriam implantados nas fronteiras russas. E isto não é território dos Estados Unidos", acrescentou Lavrov.

Postar um comentário